Conheça o multi-instrumentista de São Leopoldo que começou a tocar na igreja - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Estrelas da Periferia08/10/2019 | 07h00Atualizada em 08/10/2019 | 07h00

Conheça o multi-instrumentista de São Leopoldo que começou a tocar na igreja

Oliveira prepara o lançamento de sua primeira música, que deve sair no fim deste mês

Com apenas seis anos, André Oliveira teve o primeiro contato com a música na igreja evangélica, levado pelos pais, Lealdina Duarte dos Santos e João Ferreira de Oliveira, já falecidos. À época, o pequeno, que é cria do bairro Feitoria, em São Leopoldo, pouco tinha noção do que faria quando crescesse.

 SÃO LEOPOLDO - RIO GRANDE DO SUL - BRASIL - Estrelas da Periferia com Rapper Oliveira . (FOTO: LAURO ALVES)
Oliveira integrou o Grupo de Louvor durante cerca de dez anosFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

Mas, naturalmente, foi se encantando com as performances dos corais e instrumentistas da igreja. 

— Meus pais me levavam na missa seguidamente. E via aqueles caras tocando vários instrumentos. Aquilo começou a me estimular a tentar aprender, a entrar para o mundo da música. Então, passei a levar o meu violão para a igreja. Olhava os músicos tocando e tentava imitá-los — relembra ele, que, hoje, usa o nome artístico Oliveira e segue morando no bairro Feitoria. 

Conheça outras histórias de Estrelas da Periferia

Voo sozinho

Com 10 anos, o caminho natural foi entrar no grupo de louvor da igreja, responsável pelas canções nos cultos. A experiência por lá durou cerca de 10 anos, o que lhe rendeu um belo aprendizado. Ao sair do grupo, aos 20 anos, era hora de pensar nos primeiros passos de uma carreira solo. Oliveira já era  multi-instrumentista: tocava violão, bateria e guitarra. 

Por isso, há cerca de quatro anos, resolveu usar a experiência adquirida para fundar seu projeto solo focado no pop, mas com influências no hip hop.

Parcerias locais

Inicialmente, a aposta foi no tradicional roteiro de shows em bares. Tudo para conseguir se sustentar do ofício. 

— Sempre sonhei em viver da música. Mas, como sou de uma família humilde, não tinha como investir nisso. Então, encontrei a oportunidade de uma renda extra fazendo shows em bares — explica Oliveira. 

Assim ele foi chamando a atenção no circuito local de nomes como Ibrahits, rapper com 15 anos de carreira, dono de um selo e de um estúdio em Esteio:

— Nessa época,  Ibrahits já trabalhava como produtor. Éramos amigos, ele gravava e editava meus vídeos em um estúdio que tinha em sua casa.

A parceria rendeu frutos: sua primeira música, Se Voar, foi gravada nos estúdios do amigo. A faixa será lançada no próximo dia 29. Mas os planos não param por aqui.

— Tenho um gerenciamento de carreira que está sendo feito pela GT Produções. Na sequência, lançarei alguns clipes. E, a curto prazo, o meu sonho é tocar em um palco do Planeta Atlântida — projeta o leopoldense. 

Pitaco de Quem Entende 

Emerson Tuty, do Pyração, fala sobre o som de Oliveira:

— A mescla que ele fez é boa, o rap é um dos gêneros mais populares do mundo, pode se encaixar em vários tipos de música. Parabéns!

Aqui, o espaço é todo seu:

— Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para o e-mail jose.barros@diariogaucho.com.br.

— Se quiser falar com Oliveira, ligue para 99395-4755.



 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros