Conheça MC Batata, o funkeiro que acredita no trabalho social para ajudar jovens músicos - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Estrelas da Periferia23/03/2020 | 17h15Atualizada em 23/03/2020 | 17h15

Conheça MC Batata, o funkeiro que acredita no trabalho social para ajudar jovens músicos

Músico de Sapucaia do Sul se envolve, desdea adolescência, em projetos sociais e quer levar boas mensagens para a gurizada.

Desde sua adolescência, Tiago Carvalho, que hoje usa o nome artístico de MC Batata, se envolve com música, cultura e projetos sociais em Sapucaia do Sul, onde mora. À época, começou a despertar sua atenção para a música ao trabalhar em uma produtora de eventos, quando conheceu de perto MCs de todo o país, por conta dos shows que a empresa promovia.

 SAPUCAIA DO SUL, RS,  BRASIL, 20/03/2020- Estrelas da Periferia- MC Batata. Foto: Fernando Gomes /  Agencia RBS
Funkeiro pretende retomar trabalho social em 2020Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

- Com 16 anos, escrevi minha primeira música, chamada Bonde de Sapucaia, uma gravação caseira, de áudio e vídeo. Lancei no YouTube e, em 10 dias, atingiu 10 mil visualizações, um número significativo para a época. Desde então, não parei mais, comecei a me apresentar em festinhas e eventos da cidade - relembra Batata, hoje com 30 anos.

Como foi virando uma das referências do funk na cidade, ele começou a abrir shows nacionais de nomes como os MCs Gui, Livinho e Bin Laden. Na sua trajetória, contabiliza, atualmente, mais de 20 músicas autorais, como Fado na Laje, além de participações em faixas de outros artistas, fruto do período em que Batata teve um estúdio de gravação. 

Conheça outras histórias de Estrelas da Periferia

Pelo social

Além da música, o funkeiro, entre 2015 e 2018, encabeçou uma iniciativa pra lá de relevante: um projeto social batizado de Culturamos, no qual dava aula para novos MCs, DJs e dançarinos.

- Foi um projeto muito legal, ensinei mais de 40 crianças. Eu levava a gurizada para as escolas, para se apresentar. Elas podiam sentir o gostinho de receber aplausos, o contato com o público - conta, satisfeito com os frutos colhidos:

- E, ainda, eu promovia palestras e debates sobre o combate ao uso de drogas, sobre a distância que eles devem manter do mundo do crime. Projetos sociais e culturais são a minha vida.

Por isso tudo, Batata pretende retomar as ações do Culturamos neste ano.

Além da ideia de dar novo fôlego à iniciativa, ele comanda um programa que dá espaço para artistas de funk e rap em uma rádio de Sapucaia. E trabalha, atualmente, na gravação de um EP, em parceria com DJ Borest, de Gravataí, nome conhecido no meio, na Região Metropolitana. 

- Acredito que virei referência para a rapaziada do funk na cidade, mas sempre fazendo um funk consciente. E é o que pretendo seguir fazendo - sentencia. 

Pitaco de Quem Entende 

A cantora gaúcha Dudinha fala sobre o trabalho de Batata:

- Ele tem bastante presença de palco. Essa música (Bonde de Sapucaia) me lembrou o estilo do MC Martinho, referência nos funks conscientes, com histórias retratadas nas comunidades. Também achei legal esse lance de ele enaltecer as "quebradas". Vi que colocou na música dele o nome de várias comunidades de Sapucaia do Sul. 

O espaço é todo seu 

- Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

- Se quiser falar com Batata, ligue para 99846-8900.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros