"Sou mulher, negra, e a grande maioria é homem, branco", diz DJ gaúcha que já tocou em festa no Maracanã - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Estrelas da Periferia02/03/2020 | 17h34Atualizada em 02/03/2020 | 17h41

"Sou mulher, negra, e a grande maioria é homem, branco", diz DJ gaúcha que já tocou em festa no Maracanã

DJ Carola, que mora no Jardim Carvalho superou a falta de grana, acreditou no seu sonhoe já tocou na Arena e no Beira-Rio, além do estádio carioca.

Quem olha para a DJ Carola, 23 anos, já tendo no currículo apresentações para multidões em locais como o Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, não imagina que a moradora do Jardim Carvalho, na zona leste da Capital, pensou em desistir da carreira artística durante a adolescência. Carolina Alcântara destaca que veio de família muito pobre, sem condições de bancar seu sonho. 

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL - 2020.03.01 - Estrelas da Periferia, com DJ Carola (FotoÇ ANDRÉ ÁVILA/ Agência RBS)Indexador: Andre Avila
Carola: obstáculos não são limites para seus sonhosFoto: André Ávila / Agencia RBS

Na infância, fez aulas de teatro e sonhava em ser cantora. 

— Eles acabavam, involuntariamente, me desencorajando. Na adolescência, comecei a focar nos meus estudos e queria cursar Psicologia. Mas acabei me apaixonando pelo universo da música, mesmo que, naquela época, alguns DJs da região tivessem tentado me desencorajar — relembra a gaúcha. 

No início, como não tinha grana para pagar um curso de DJ, estudou os princípios básicos de música e mixagem em um site especializado.  Aos poucos, galgou seus passos para realizar o sonho.

Ver essa foto no Instagram

Essa foto fala muito sobre o que eu acredito e sobre as pessoas que eu amo.. levo 2 lemas comigo SEMPRE.. o primeiro: “Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta” O segundo: “Aquele que quer ser rei, primeiro tem que aprender a servir” Resumindo ambos pra vcs: Vc tem um sonho?! LUTE por ele.. MAS LUTE DE VERDADE, perca o sono, se arrependa de determinada atitudes e se cobre sempre em 100% do tempo, você é o seu maior crítico. Seja útil, o seu sonho facilmente se torna o sonho de outras pessoas quando vc se doa 100%, seja grato e fiel a essas pessoas até o fim. Obrigada a todas as pessoas que acreditam em mim, e mais que isso eu agradeço a todas que em algum momento desacreditaram.. isso me forjou, fez eu ser a pessoa que eu sou hoje e cada dia que passa eu tenho mais orgulho desse ser humano e dessa artista que eu to me tornando. Pro meu Team Carola que ano passado era muito pequeno e hoje é gigante, toda a minha admiração e o meu muito obrigada, juntos vamos longe. Com todo o meu amor, Carola. Foto: @simplepixoficial

Uma publicação compartilhada por CAROLA (@listentocarola) em

Jamais desistir

Em 2012, Carola participou de um concurso promovido por um site, no qual DJs enviavam suas performances para uma banca formada por especialistas. 

— Fiquei entre os cinco finalistas e nos apresentamos em uma casa noturna, para que fossem julgados diversos aspectos, como repertório e presença de palco. Aquilo mudou o conceito de muita gente sobre mim e me trouxe um certo respeito — relembra a garota:

— Com menos de um ano de carreira,  deixei pra trás 70 concorrentes, a maioria homens, e fiquei em segundo lugar no concurso. A partir dali, as coisas começaram a melhorar, fui recebendo mais convites para shows.

Uma das grandes experiências de sua trajetória veio em 2015, ao tocar em um festival de música eletrônica dentro do Maracanã. No mesmo ano, também deu show no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, e, nos dois anos seguintes, na Arena. 

Ao falar de seu estilo, Carola não gosta de se colocar dentro de uma definição mais clássica.

— Me considero uma artista. Dentro disso, trabalho com músicas que acho boas, não fico presa a um gênero. Quem gosta de música eletrônica entende que tenho elementos de diversos estilos — argumenta. 

Conheça outras histórias de Estrelas da Periferia

Aos poucos

Subindo um degrau por vez, em 2017, viu sua primeira produção própria, My Brother, chegar ao Spotify, com mais de 500 mil reproduções. No ano passado, foi eleita a melhor DJ do Rio Grande do Sul, pela Associação Gaúcha de DJs:

— Essa foi, de longe, uma das minhas maiores realizações pessoais. E eu estava concorrendo com meninas que têm muita história no meio musical, e a eleição era por voto popular.

Mas o céu não é o limite para ela:

— Tenho muitas barreiras para derrubar e me consolidar de vez no mercado. Fujo do estereótipo de um DJ de música eletrônica. Sou mulher, negra, e a grande maioria é homem, branco. Mas, com muito trabalho, vou chegando lá.

Pitaco:

Vanessa, da dupla com Claus, fala sobre o trabalho da DJ:

– A Carola chega em um momento muito propício no cenário das mulheres mandando como DJs. E ela ainda tem um diferencial, que são as produções, todas bem feitas, com timbres atuais e dinâmicos. Um sucesso!

Aqui, o espaço é todo seu:

— Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

— Se quiser falar com Carola, ligue para 99693-8926.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros