Do rap para a rádio comunitária, conheça Ng Fênix - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Estrelas da Periferia19/05/2020 | 12h45Atualizada em 19/05/2020 | 12h45

Do rap para a rádio comunitária, conheça Ng Fênix

Artista de São Leopoldo começou na musica ainda na adolescência. Hoje, além do rap, apresenta um programa em uma rádio comunitária.

Leopoldense de berço, como gosta de ressaltar, Maílson Mello da Silva, hoje conhecido como Ng Fênix, se considera um vencedor. Filho mais velho de oito irmãos, Fênix foi criado no bairro Santo André, na cidade, onde, segundo ele, existia uma "sociedade dentro de uma sociedade, com suas próprias leis e doutrinas".

Fênix começou a carreira ainda no colégioFoto: Arquivo Pessoal

- O crime predominava naquela região, mas eu nunca fui para esse mundo. Comecei minha trajetória no mundo da música ainda na adolescência, dançando e cantando na escola Senador Salgado Filho, onde eu estudava. Ali, já comecei a me destacar em projetos sociais oferecidos por professores e instituições parceiras da escola  - explica Fênix.

Da dança e da música para o primeiro grupo de rap, foi um passo. Com alguns amigos, ele criou o grupo Elementos RS, que que chegou até a gravar um DVD ao vivo.

Após a saída de alguns integrantes do grupo, Fênix, persistente, não desistiu do seu sonho, e fundou outro grupo, o FL4 Felicidade, e Liberdade para os 4 Cantos do Mundo. 

- Essas duas experiências me ajudaram muito, me deram base para colocar em prática o meu sonho, que era ter um trabalho solo - afirma Fênix.

Conheça outras histórias de Estrelas da Periferia

Enfim, voo solo

Em 2010, finalmente, ele criou o projeto Fênix, seu primeiro trabalho solo, no qual ele conta com a participação de uma banda de apoio.  Entre os destaques do repertório do Fênix está a canção Dois Lados da Moeda, que integra o disco do grupo, todo gravado com faixas próprias. E, com o destaque que foi ganhando no rap no Estado, Ng Fênix foi convidado para levar seu projeto para uma rádio comunitária de Novo Hamburgo. Hoje, ele apresenta o Programa da Gente, na Rádio Cidade Alta. 

- A ideia é que o programa seja um projeto multicultural e com uma mistura dos gêneros. Também pretendemos apoiar artistas que, muitas vezes, não tem apoio nas mídias tradicionais, para que eles possam divulgar seus trabalhos. Meu maior objetivo é que o artista possa superar suas expectativas em relação ao seu próprio trabalho. A música mudou a realidade da minha vida e quero poder ajudar a música a mudar a realidade de outras pessoas - afirma o rapper.

Pitaco

Emerson Tuty, vocalista do Pyração, fala sobre o trabalho de Fênix:

-  O trabalho dele é de muita qualidade, rap com letras fortes, e de conscientização. E é legal destacar o trabalho que ele faz na rádio comunitária, fundamental para os músicos de periferia!


Aqui, o espaço é todo seu

- Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

- Para falar com o rapper, ligue para 99557-9275



 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros