"Graças a Deus, encontrei outro caminho", diz funkeiro gaúcho que perdeu irmãos para o mundo das drogas - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Estrelas da Periferia12/05/2020 | 07h00Atualizada em 12/05/2020 | 07h00

"Graças a Deus, encontrei outro caminho", diz funkeiro gaúcho que perdeu irmãos para o mundo das drogas

Marcelo Augusto, o MC Guri, perdeu os pais, viu irmãos biológicos se envolverem com drogas mas seguiu o bom caminho da música

Há cerca de onze anos, Marcelo Augusto, mais conhecido como MC Guri, morador da Vila Pedreira, em Esteio, encontrou seu caminho no funk consciente, como ele gosta de definir. Fã de nomes como Claudinho & Buchecha, um dos ícones do funk mais dançantes, com letras mais românticas, leves, conhecido como funk melody, Guri encontrou na música uma salvação para sua vida. Como é comum para diversos moradores de periferia do país, Guri sempre teve a oferta de entrar para o mundo das drogas e do crime, mas resistiu, sabendo que seu propósito era a música.

estrelas da periferia, mc guri, esteio.
Guri tem história de superaçãoFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

- Minha mãe faleceu em 2010, meu pai, em 2014. Depois, perdi meus irmãos biológicos para o mundo do crime. Se não fosse a música e a dona Elisabeth e o seu Delmar, meus pais adotivos, não sei o que seria de mim. Graças a Deus encontrei eles e achei outro caminho - afirma Guri, hoje, com 25 anos.

Leia outras histórias de Estrelas da Periferia

Boas mensagens

Encaminhado na vida, como ele gosta de dizer, Guri lembra que, ao participar de uma oficina de rap ministrada pelo rapper Marck B, locutor e produtor da RBS TV, em 2013, achou o seu caminho dentro da música.

- Ele fazia oficinas solidárias de rap e encontrei meu caminho no funk ao participar daquelas iniciativas. Depois de ter participado das oficinas, me apaixonei pela cultura do funk. Não tenho palavras para definir o trabalho do Marck - afirma Guri. 

Antes da pandemia de coronavírus, Guri, que hoje mora sozinho e tem sua casa própria em Esteio, tinha uma boa agenda de shows, tanto na cidade quanto em Sapucaia, sempre levando mensagens positivas para os jovens, principal público-alvo de suas músicas. A música mais recente dele, Tentando Ser Alguém, traz boas mensagens e fala de um cara batalhador, que faz tudo de maneira honesta para vencer na vida.

Um de seus grandes momentos, ele lembra, foi quando abriu fez uma apresentação na abertura do show de Michel Teló, no aniversário de Esteio, em 2016. Agora, aguarda que a pandemia de coronavírus seja controlada, para que a vida volte ao normal. Ao final, ele deixa seu recado, um mantra, praticamente, que vem lhe guiando há muitos anos:

- Diga não às drogas respeite o pai e a mãe

Rapper marcou presença no aniversário de EsteioFoto:

Pitaco

Marck B, da RBS TV, fala do trabalho do funkeiro.

_O MC Guri é uma jovem referência na Vila Pedreira. A música que ouvi (xx), ficou muito boa e com uma letra bem positiva, impecável e tem uma batida mais cadenciada dos funks que estamos mais acostumados a ouvir. A letra fala sobre superar problemas e acreditar em si para vencer os problemas, sem desistir jamais, ele mandou bem. A dica é manter este foco positivo, com esse funk diferenciado. 

Aqui, o espaço é todo seu

/// Para falar com o MC, ligue para 9827-1048.

/// Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

/// Em diariogaucho.com.br, confira a performance do funkeiro, em vídeo.



 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca