Por que valeu a pena ver de novo "Avenida Brasil" - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Noveleiros01/05/2020 | 10h00Atualizada em 01/05/2020 | 10h00

Por que valeu a pena ver de novo "Avenida Brasil"

Segunda exibição da trama chega ao fim nesta sexta-feira

Por que valeu a pena ver de novo "Avenida Brasil" Estevam Avellar/TV Globo/Divulgação
Foto: Estevam Avellar / TV Globo/Divulgação

Ao colocar em prática uma vingança arquitetada durante anos, ela mentiu, enganou, manipulou, humilhou, roubou e torturou. Não se trata de uma grande vilã, mas da "mocinha" de Avenida Brasil. Nina (Débora Falabella) está longe de ser uma heroína convencional. Cometeu crimes e, por vezes, se igualou a Carminha (Adriana Esteves), esta sim, a vilã da história. Se bem que, apesar de tudo o que aprontou, a loira teve seus momentos de humanidade e muitos de seus atos são justificados por uma infância sofrida. O certo e o errado, o bem e o mal, o amor e o ódio, entre outros elementos antagônicos se mesclaram a cada capítulo.

Esse jogo de espelhos criado por João Emanuel Carneiro é um dos grandes méritos de Avenida Brasil. Não à toa, a trama chega ao fim de sua segunda exibição como um fenômeno, desta vez no Vale a Pena Ver de Novo. Nas tardes da Globo, alcançou índices de audiência comparáveis ao horário nobre, movimentou as redes sociais e agradou os noveleiros saudosos. É claro que todo mundo conhece bem cada detalhe da novela, mas isso não impediu que parássemos, mais uma vez, diante da telinha. 

Memória afetiva

A reprise de uma boa novela é como aquele desenho animado a que assistimos à exaustão na infância. Com a segurança de saber o que vai acontecer na cena seguinte, podemos curtir melhor a história, sem sobressaltos. E até mesmo, quem sabe, repetir uma ou outra fala marcante. "Me serve vadia", "Eu quero ver tu me chamar de amendoim" e "É tudo culpa da Rita" voltaram à boca do povo. Nossa memória afetiva agradece.

Na TV e na internet

As redes sociais já existiam na época da primeira exibição de Avenida Brasil, ainda que em menor proporção. Foi uma das primeiras tramas a abastecer as timelines de memes, vídeos e comentários perspicazes. Mas é claro que agora, passados oito anos, há muito mais gente se manifestando por meio de tweets e postagens no Facebook. Some-se a isso o fenômeno do Instagram Stories, através do qual é possível comentar em tempo real as emoções da novela.

Sempre atual

Outro ingrediente dessa fórmula de sucesso é o fato de Avenida ser uma trama atemporal. Afinal, os elementos que permeiam a história não envelhecem, sempre podem ser objeto de discussão, não importa a época. Seguramente, seria um fenômeno daqui a 20 ou 30 anos. Sim, porque não duvido que, assim que o último capítulo for ao ar logo mais, os fãs da novela já estarão pedindo mais uma exibição. Vale a pena ver, rever, rever e rever muitas vezes. Como aqueles seus filmes favoritos de criança, que ainda te prendem a atenção na fase adulta. 

Nina (Debora Falabella) e  Carminha (Adriana Esteves), avenida brasil
Foto: Estevam Avellar / TV Globo/Divulgação


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros