Frejat lança primeiro disco de inéditas em 12 anos - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Do pop ao romântico11/06/2020 | 10h39Atualizada em 11/06/2020 | 10h39

Frejat lança primeiro disco de inéditas em 12 anos

Cantor e guitarrista apresenta trabalho com o sugestivo nome de "Ao Redor do Precipício"

Frejat lança primeiro disco de inéditas em 12 anos Leo Aversa/Divulgação
Frejat apresenta o quarto trabalho de sua carreira solo Foto: Leo Aversa / Divulgação

Sem lançar um disco com músicas inéditas há 12 anos, Roberto Frejat apresenta aos fãs, em meio à pandemia de coronavírus, seu novo trabalho, com o sugestivo nome de Ao Redor do Precipício. Com 13 faixas, o quarto álbum de estúdio do músico, lançado nas plataformas digitais, traz parcerias de Frejat com nomes como Leoni, Alice Caymmi e Dulce Quental, entre outros convidados. 

No próximo sábado (13), às 19h, no Instagram do shopping Iguatemi São Paulo, Frejat apresentará uma live com faixas do disco e sucessos de sua carreira. No começo da entrevista a GaúchaZH, ele justifica o longo tempo sem lançar um trabalho inédito.

— Eu vinha dando prioridade a singles, pensava que o single era o grande ponto de comunicação, que eu podia dar uma sequência grande para aquilo. Então, achava que não precisava fazer um disco, já que não tinha loja para vender. Pensei em fazer um álbum para colocar nas plataformas digitais, mas você não pensa em retorno, pois o que essas plataformas pagam é uma piada — afirma Frejat, 58 anos, por e-mail.

Porém, quem imagina que o nome do álbum tenha alguma relação com o momento atual que o Brasil vive ou com as dificuldades enfrentadas pela cultura, se engana. Ao Redor do Precipício está pronto e prensado desde maio do ano passado — começou a ser produzido em novembro de 2018.

— Eu já tinha a intenção de lançar o disco comercialmente. Mas, aí, ficamos presos na pandemia. E esse nome já estava no disco, a ideia surgiu porque eu comentava com meus amigos que o meu dia a dia era uma oscilação entre ficar surpreso com a generosidade das pessoas, seja na cultura ou na ciência, e, ao mesmo tempo, ver que as pessoas têm uma capacidade incrível de serem bárbaras e desconhecer todos os princípios de coerência e racionalidade. Acredito que estamos nesse momento, exatamente entre dois pontos: aquele com uma bela vista, promissora, e, do outro lado, o precipício — explica Frejat.

Em épocas de intenso consumo de discos em plataformas digitais, o músico vai na contramão do mercado. Ao lançar Ao Redor do Precipício, ele disponibilizou uma pequena quantidade no formato físico, em CDs que não serão comercializados — são para distribuição limitada:

— Ainda sou um comprador de CD. Claro, não compro da mesma maneira que comprava antigamente. Tenho muito CD, acho que é um material diferenciado.

Parcerias

No álbum, Frejat voltou a se encontrar com antigos companheiros de composição, entre eles Leoni (coautor de Amar um Pouco Mais e Cartas e Versos, além das baladas Por mais que Eu Saiba e Todo Mundo Sofre).

Cartas e Versos traz o ambiente pop latino para o som, com suingue, percussões e solos de guitarra envolventes. Essa música tem uma melodia bem bacana e uma letra romântica do Leoni, maravilhosa. E tem solos bem dentro das minhas influências de guitarra latina, como o Santana — afirma o carioca. 

Roberto Frejat lança disco cartas e versos<!-- NICAID(14518408) -->
Álbum com 13 faixas disponível nas plataformas digitaisFoto: Divulgação / Divulgação

E seguem os elogios a Leoni:

— Ele está escrevendo cada vez melhor, nossas parcerias têm funcionado de uma maneira muito bacana. Acho todas as nossas parcerias maravilhosas, todas as músicas em que ele teve participação, no disco, tiveram um resultado muito bacana. É legal descobrir um parceiro que tem uma regularidade muito boa — comenta Frejat.

Outro companheiro de Frejat em Ao Redor do Precipício é o gaúcho Luis Nenung, compositor da faixa Pergunta Urgente, que fala sobre impasses afetivos e existenciais. A faixa, aliás, foi lançada no disco de Nenung Incendeia tua Aldeia (2019).

— É a única faixa que não é minha, mas representa muito para mim, diz muito do que sinto. O Nenung é um artista gaúcho que respeito muito e ressalta ainda mais minha ligação com o Rio Grande do Sul — finaliza Frejat.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros