Dinho Ouro Preto se desculpa por ter xingado bandas emo; assista - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Arrependido27/11/2020 | 11h21Atualizada em 27/11/2020 | 11h21

Dinho Ouro Preto se desculpa por ter xingado bandas emo; assista

Cantor relembrou entrevista na qual declarou que sentia desdém por grupos como Fresno, NX Zero e Restart

Dinho Ouro Preto se desculpa por ter xingado bandas emo; assista Bruno Fioravanti/Divulgação
Dinho Ouro Preto, vocalista da banda Capital Inicial Foto: Bruno Fioravanti / Divulgação
GZH
GZH

Dinho Ouro Preto publicou um vídeo em seu canal oficial do YouTube para pedir desculpas por ter xingado bandas emo. No vídeo Me Arrependo do que Disse Sobre as Bandas Emo, o vocalista do grupo Capital Inicial disse que "falou uma groselha sobre o NX Zero e sobre o Fresno" durante uma entrevista com Lobão.

O episódio relatado ocorreu em 2010, quando Dinho declarou que sentia certo desdém pelas bandas do movimento emo e que elas estavam "mais para Menudos". Ele atribuiu os comentários a um comportamento similar ao de Lobão:

— Foi um engano. Eu já tinha me desculpado com o Lucas (Silveira, vocalista da Fresno e que acabou produzindo o último disco de estúdio do Capital Inicial). O Lobão se caracterizou por esculhambar muito as obras dos outros. E durante muito tempo eu fazia algo parecido — comentou.

Dinho também disse que, por muito tempo, a geração dele "pagava no pé" de artistas que haviam surgido antes, como Caetano Veloso e Gilberto Gil. Segundo ele, esse comportamento também o motivou a criticar os artistas mais novos.

— Eu estava vendo o caminho que o rock brasileiro seguia. Via as gerações se sucedendo. Tinha Raul, Rita, Mutantes. Depois a nossa geração. Depois tem Charlie Brown, Planet Hemp, Raimundos. Todas se seguiram. A impressão que tinha é que em algum momento o rock tinha tido um tropeço qualitativo. Acredito que isso estaria visível em artistas como o Restart. Mas a verdade é que há muito talento nessa geração. 

O cantor acredita que, na época, deveria ter tido outra postura, de conhecer os artistas dos quais estava falando mal e conversar com ele. 

— Eu não gosto da música do Restart, mas eu fui buscar eles depois. Não quero ser um cara pautado por falar mal da carreira — afirmou.

Dinho ainda ressaltou que hoje prefere se concentrar nas coisas positivas:

— A medida que eu fui envelhecendo, fui tomando um certo desgosto por pautar o meu discurso por uma necessidade de oposição a determinado artista ou estilo musical. Acredito que eu posso perfeitamente fazer a minha música e buscar minha própria expressão sem que seja imprescindível o massacre de outra pessoa.

Confira o vídeo:


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros