Nando Reis reabre Araújo Vianna cantando hits ao lado do filho - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Em família27/11/2020 | 17h39Atualizada em 27/11/2020 | 17h39

Nando Reis reabre Araújo Vianna cantando hits ao lado do filho

Apresentação deste sábado revisitará hits do Titãs e da carreira solo do artista

Nando Reis reabre Araújo Vianna cantando hits ao lado do filho Carol Siqueira/Divulgação
Nando se apresenta ao lado de Sebastião Foto: Carol Siqueira / Divulgação

Neste sábado (28), um dos principais palcos do Rio Grande do Sul volta a receber shows, depois de oito meses fechado. O Auditório Araújo Vianna reabre com 30% de sua capacidade, conforme protocolos do Comitê Temporário de Enfrentamento ao Coronavírus, para abrigar Nando Reis, artista que tem ligação forte com a cidade e com o próprio Araújo. Nando celebra a oportunidade de voltar ao Rio Grande do Sul por duas razões: rever seu filho Ismael, 14 anos, que mora em São Leopoldo, e tocar ao lado de outro filho, Sebastião, 25, para quem gravou a faixa O Mundo É Bão Sebastião

A dupla apresentará, às 21h, um espetáculo no formato voz e violão, com um apanhado de sucessos de Nando desde seus tempos na banda Titãs (Não Vou Me Adaptar e Marvin), hits de sua carreira solo, como Pra Você Guardei o Amor, Por Onde Andei e Relicário e algumas canções mais recentes, entre elas Rock ‘n’ Roll. Por telefone, Nando conversou com GZH, falando sobre sua expectativa para a apresentação.

Qual a expectativa para o show de reabertura do Araújo Vianna, um lugar tão importante para Porto Alegre e para você?

Porto Alegre é um lugar importante demais na minha história, fiz grandes shows aí. Estou muito feliz em voltar ao Araújo, mas reforço que só aceitei o convite para o show porque todas as medidas de segurança estão sendo tomadas, para que todos possam usufruir do show com segurança. Dessa forma, farei aquilo que mais amo na vida, que é subir ao palco, e nessa cidade tão importante. Aliás, será a oportunidade de rever meu filho (Ismael, 14 anos, que mora em São Leopoldo). Faz 10 meses que não o vejo. Tínhamos um planejamento de passar as férias do meio do ano juntos, mas a covid acabou com planos de muita gente. Minha expectativa para o show é grande, será uma plateia diferente dos outros públicos, de shows em drive-in. Tudo conjuga para que seja um evento lindo e emocionante. A música consegue nos deslocar um pouco da realidade, pois as coisas têm sido muito duras, especialmente em Porto Alegre, depois do trágico assassinato do Beto, no Carrefour. A música traz não só esperança, mas reflexão. Vai ser muito legal, pois será a primeira vez que o Sebastião tocará comigo, será um momento especial.

O que o público pode esperar do repertório?

É um show diferente de outros que já fiz. Obviamente, tocarei algumas das minhas canções que poderiam ser chamadas de clássicas. Tocarei a faixa Rock ‘n’ Roll, fiz alguns ajustes na letra. Na primeira parte, eu toco sozinho. Na segunda, estamos juntos, eu e Sebastião. 

Desde a época dos Titãs, suas letras sempre foram impactantes. Essa volta aos palcos acontece num momento importante no país, certo?

Tudo o que eu toco e sempre toquei, de certa maneira, reflete aquilo em que acredito. A forma como eu penso, a defesa do amor, do direito de escolha, de uma forma sutil ou não tão explícita. E meu show fala justamente de esperança, contra isso que aconteceu em Porto Alegre e que acontece diariamente no país. Isso nos impacta diretamente. Quando temos pessoas racistas ou negacionistas entre nós, representadas por esse ser indizível que é o presidente da República, isso nos impacta muito. Não sei como as pessoas ainda não foram às ruas para tirar esse homem do cargo. Tudo que ele fala é de forma desrespeitosa. Não se governa para uma minoria de débeis mentais que ficam escrevendo no Twitter. Então, minha posição coerente, nos palcos, é estar contra tudo isso que ele representa, e que as posições dele representam.

Segurança do público

De acordo com Rodrigo Machado, sócio-diretor da Opinião Produtora, responsável pelo show, entre os protocolos de segurança que serão seguidos no Araújo Vianna estão o distanciamento interpessoal, o uso de máscaras, a disponibilização de álcool em gel, a verificação de temperatura, a demarcação de assentos e a sanitização do espaço. 

Na autorização para a reabertura do auditório consta a obrigatoriedade da manutenção da ventilação natural, com todas as janelas laterais abertas. A dispersão ao término do evento será feita de maneira escalonada, para evitar aglomeração. 

Nando Reis Voz & Violão

  • Sábado, às 21h. 
  • Auditório Araújo Vianna (Av. Osvaldo Aranha, 685)
  • Ingressos: R$ 180 (plateia alta central e alta lateral); R$ 100 (com doação de um quilo de alimento); R$ 220 (plateia baixa lateral, sem doação); R$ 120 (com doação); R$ 280 (plateia baixa central, sem doação) e R$ 150 (com doação);  R$ 380 (plateia gold, sem doação) e R$ 200 (com doação)
  • Vendas em www.sympla.com.br/araujovianna
 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros