Cinemas fechados e drive-ins com capacidade reduzida: entenda as novas restrições para o setor cultural no RS - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Bandeira vermelha01/12/2020 | 11h24Atualizada em 01/12/2020 | 11h24

Cinemas fechados e drive-ins com capacidade reduzida: entenda as novas restrições para o setor cultural no RS

Mudanças foram publicadas em edição extra do Diário Oficial do Estado

Cinemas fechados e drive-ins com capacidade reduzida: entenda as novas restrições para o setor cultural no RS André Ávila/Agencia RBS
Foto: André Ávila / Agencia RBS

Um decreto publicado pelo governo do Rio Grande do Sul na noite desta segunda-feira (30) alterou as regras de diversos setores em todo o Estado em virtude do avanço do coronavírus. No setor cultural, cinemas e casas de shows serão fechados em regiões com bandeira vermelha a partir deste terça (1º). Conforme o último boletim do distanciamento controlado, a medida vale para 19 das 21 regiões do Estado.

De acordo com o decreto, os teatros, auditórios, casas de espetáculos, casas de show, circos e similares só poderão voltar a funcionar após 14 dias seguidos sem bandeira vermelha ou preta. Caso as apresentações ocorram em lugares abertos, está liberado o funcionamento com 50% do público, todo sentado, e com a proibição do consumo de alimentos ou bebidas, mesmo na plateia e com distanciamento.

O formato drive-in, por ser em local aberto, é um dos que segue liberado com 50% da capacidade em bandeira vermelha e 75% em bandeira laranja. No decreto, porém, foi vedada a abertura de portas e a circulação externa aos automóveis - alguns drive-ins ofereciam a possibilidade de camarote externo aos espectadores. A circulação na área externa é liberada somente para uso dos sanitários, com utilização de máscara e fila com distanciamento demarcado.

Os 14 dias seguidos sem bandeira vermelha ou preta também são o período estipulado para o reabertura de cinemas. Representantes da Federação Nacional das Empresas Exibidoras de Cinema (Feneec) estão reunidos nesta manhã para repercutir as próximas medidas.

Outra mudança se refere à programação musical de bares e restaurantes: está proibida música ao vivo. Esses locais podem ter apenas som ambiente que não prejudique a comunicação entre clientes.

— Quando há música, as pessoas precisam gritar, e estão expelindo mais saliva, e é maior a possibilidade do contágio. Mesmo com as mesas afastadas, não é o suficiente. Os bares, inclusive, só podem funcionar até 22h pra não se estender. Não é nada contra os músicos — explicou o governador Eduardo Leite, nesta terça, em entrevista ao Atualidade, na Rádio Gaúcha.

Outras restrições 

Em relação aos museus e centros culturais, o funcionamento em bandeira vermelha é liberado com 50% dos trabalhadores e 25% do público - na bandeira laranja, a capacidade sobe para 50%. Visitações em grupos podem ocorrer com no máximo seis pessoas, sob agendamento prévio. As regras de protocolos seguem as mesmas: todos devem usar máscara e manter o distanciamento, com os locais tendo álcool gel e ventilação natural cruzada (janelas e portas abertas).

As bibliotecas municipais só podem funcionar com 25% dos trabalhados e sem público. Ateliês de artes e atividades associativas ligadas à arte e à cultura, como MTGs, também estão fechados em bandeira vermelha a partir desta terça.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros