Frigidez: um termo equivocado - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Falando de Sexo01/12/2020 | 15h31Atualizada em 01/12/2020 | 16h13

Frigidez: um termo equivocado

Estar desanimada em relação ao sexo não significa que perdeu o desejo

Frigidez: um termo equivocado Reprodução/Reprodução
Foto: Reprodução / Reprodução
Andrea Alves e Lucia Pesca

Oi, gurias! Eu e o meu namorado tivemos uma briga por causa de sexo. Não tiro a razão dele, pois a verdade é que eu não sinto muita vontade de transar. Aí, ele fica chateado, porque, na maioria das vezes, eu digo não. Desta vez, ele disse que eu preciso me tratar, porque sou frígida. O que é isso? 

Amiga, antigamente, quando não se sabia qual era a dificuldade sexual da mulher, costumava-se dizer que ela era frígida. A palavra frigidez era usada, no início do século 20, para se referir a uma mulher fria, aquela que não tinha desejo sexual. O termo, hoje entendido como pejorativo, não é mais utilizado por estudiosos e profissionais da área da saúde.

Na verdade, frigidez não existe: mas, sim, dificuldades sexuais que podem ser superadas. 

Sempre dizemos que a sexualidade feminina é muito rica. Todas as mulheres têm um potencial sexual incrível. Para desenvolver isso, o caminho é um só:  autoconhecimento.

Leia outras colunas

Fique atenta

Para o envolvimento sexual, o conhecimento de si mesma e do  funcionamento do seu corpo é fundamental. Fique atenta aos seus desejos: talvez, você tenha mudado. O que a estimulava antes, agora, pode não causar mais excitação. Isso é normal. Porém, você deve descobrir novas fontes de estímulo e prazer. Observe se precisa de mais tempo para entrar no clima. Muitas vezes, a vontade surge depois que as carícias já começaram.

Estar desanimada em relação ao sexo não significa que perdeu o desejo. Procure redescobrir o que a deixa excitada, só você pode fazer isso.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros