Prática oral pode transmitir doenças - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Falando de Sexo12/01/2021 | 15h54Atualizada em 12/01/2021 | 15h54

Prática oral pode transmitir doenças

O simples contato da boca com a pele pode ser suficiente para a transmissão de algumas infecções

Prática oral pode transmitir doenças Reprodução/Reprodução
Foto: Reprodução / Reprodução
Andrea Alves e Lucia Pesca

Minha irmã terminou um namoro há poucos meses, porque o ex a contaminou com uma doença sexualmente transmissível (DST). Mas ela me disse também que é possível contrair doenças pelo sexo oral. Achei bem estranho, nunca tinha ouvido falar. Isso é verdade?

Sim, é verdade! O Ministério da Saúde afirma que as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) estão entre os problemas de saúde pública mais comuns em todo o mundo. Elas podem ser transmitidas de diversas maneiras. 

Apesar de os vírus, bactérias e outros agentes estarem mais presentes no esperma, existe a possibilidade de se contaminar com o líquido expelido antes da ejaculação ou pela secreção da vagina. O simples contato da boca com a pele pode ser suficiente para a transmissão de algumas infecções. 

Leia outras colunas

Riscos

Quem faz sexo oral desprotegido no parceiro corre mais riscos de pegar ISTs, já que se expõe ao sêmen ou fluído vaginal, mas isso não quer dizer que quem recebe não corra riscos. Se o parceiro tem herpes labial ou gonorreia, quem faz o sexo oral pode transmitir para quem recebe a carícia. 

Segundo o Ministério da Saúde, o risco de contrair infecções aumenta com a presença de ferimentos na boca – como gengivites, aftas ou machucados causados pela escovação. 

Além disso, ejacular na boca aumenta o risco de transmissão, por despejar uma quantidade maior de bactérias na mucosa de quem está fazendo o sexo oral.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros