Rock e incentivo aos músicos de periferia: conheça a Marginal Zero - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Estrelas da Periferia25/05/2021 | 12h42Atualizada em 25/05/2021 | 12h42

Rock e incentivo aos músicos de periferia: conheça a Marginal Zero

Banda, que surgiu em 2017, estimula o surgimento de artistas no setor e prepara um pequeno festival, pós-pandemia.

Rock e incentivo aos músicos de periferia: conheça a Marginal Zero Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Banda começou em 2017 Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Com integrantes das periferias de Canoas e Esteio, a banda Marginal Zero surgiu em 2017, com o objetivo, segundo Douglas, que toca bateria na banda, de expressar os sentimentos e opiniões oriundos da periferia. Formada por Rafael Baccin (guitarras), Yan Silveira (baixo) e Lucas Josué (vocais), além de Douglas, a banda cresceu em uma espécie de consequência vinda da divisão entre o grupo LaQuadrilha, grupo que Yan, Rafael e Lucas integravam, com as bandas Caronna e Bad Vintage, que Douglas tocava. 

- As bandas Marginal Zero e Bad Vintage tocaram em um festival promovido em Canoas. Lá, conhecemos a gente trocou figurinhas, conheceu o som um do outro. Por consequência, na saída do antigo baterista da banda, o Rafael me convidou para fazer alguns ensaios. E desde, então, me fixei como baterista da banda - lembra Douglas. 

Conheça outras histórias de Estrelas da Periferia

Intensamente focados no trabalho autoral, os músicos definem a Marginal Zero como uma banda sem rótulos, voltada mais para o rock, mas que tem grandes influências do reggae e do rap. Hoje, os músicos tem um EP e dois singles lançados e já estão em estúdio para gravar o novo projeto. Entre os destaques, no primeiro EP, que está nas plataformas digitais, está a canção Abordagem de Rotina e uma das mais recentes canções lançadas, 3p.m). 

Um dos projetos que o grupo tem, quando a pandemia de coronavírus deixar, é promover um festival de bandas independentes, para dar espaço para grupos do cenário alternativo.

- Será um festival com seis ou oito bandas e todas receberão premiações, desde a gravação de EPs, de singles e premiação em grana mesmo. A ideia é incentivar o surgimento de bandas alternativas e independente, ainda mais nosso gênero. O festival terá o apoio dos nossos parceiros do Estúdio Caixote, também de Canoas - explica Douglas. 

Pitaco 

Tuty, do Pyração, fala sobre a banda:

- Muito importante ter uma banda de rock independente, com a proposta da Marginal Zero. Vocais alinhados, banda com grande potencial. 

Aqui, o espaço é todo seu

- Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

- Para falar com a banda, ligue para 9329-7652.



 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros