Projeto social e mescla de gêneros: conheça MC Wago - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Estrelas da Periferia29/06/2021 | 17h43Atualizada em 29/06/2021 | 17h43

Projeto social e mescla de gêneros: conheça MC Wago

Cantor, que começou a carreira em coral, investe no funk e também atua em projeto social na Vila Nova

Projeto social e mescla de gêneros: conheça MC Wago Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Cantor também atua em projeto social Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Morador da Vila Nova, Zona Sul da Capital, Vagner de Oliveira Corrêa, hoje conhecido como MC Wago, 36 anos, já tem uma boa rodagem em grupos de rap de Porto Alegre. Entre os grupos que já integrou, e que foram responsáveis por sua formação musical, estão nomes como conhecidos da cena cultural de Capital. Praticantes, CNboys e Banda Guettho Groove. Hoje, em carreira solo, o músico aposta em um rap que traz uma mistura ousada de rap, groove, samba rock, pop, reggae e funk. 

-  Faço uma mescla com as vertentes da black music. Minha ideia é fazer um som bem original e intuitivo, trazendo para o público um estilo descolado - explica Wago. 

Conheça outras histórias da seção

Clipe já foi lançado

Wago, que até os 15 anos morou na Vila Cruzeiro, também na Zona Sul, começou a cantar em um coral, ainda na adolescência. Depois de integrar os grupos, decidiu que devia seguir carreira solo. Ainda neste ano, Wago pretende lançar seu primeiro EP, nas plataformas digitais, que terá três faixas, com participações especiais de nomes como o músico Davi Menezes e Bira Mattos. Entre as faixas que estarão no disco, um dos destaques é a canção Vai Rebolando, que teve clipe gravado em Porto Alegre, cujo lançamento aconteceu no início do mês, com a participação de Davi.

Porém, não é só de música que vive Wago. Em um trabalho admirável, ele dá aula de futebol para crianças e adolescentes carentes, dos seis aos 15 anos, no projeto Social Sport Vida, que funciona no bairro Vila Nova e que atende 150 jovens. O atendimento do projeto, que ainda tem aulas de música e capoeira, acontece nas segundas, quartas e sextas-feiras e é mantido apenas por doações.  

- Levaremos as crianças para gravar uma música sobre o projeto, é fundamental que elas façam conexões entre a música e o esporte - afirma.

Pitaco 

Adriano Brasil fala sobre o trabalho do MC:

- Trabalho ousado e de qualidade o dele. É preciso que a gente revele mais nomes como o do Wago. 

Aqui, o espaço é todo seu

- Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

- Para falar com o MC, ligue para 99376-6254.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros