Fenômeno no streaming, conheça Kawe, autor do hit "MDS" - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Rap11/07/2021 | 12h25Atualizada em 11/07/2021 | 12h58

Fenômeno no streaming, conheça Kawe, autor do hit "MDS"

Rapper lançou seu primeiro disco, "7 Dígitos", na quarta-feira (7)

Fenômeno no streaming, conheça Kawe, autor do hit "MDS" Tamires Damas / Divulgação/Divulgação
Kawe tem apenas 21 anos Foto: Tamires Damas / Divulgação / Divulgação

Com apenas 21 anos, Kawe é um dos fenômenos recentes do streaming. Em janeiro, o hit MDS conquistou o Tiktok, com a coreografia sendo repetida por famosos como Maisa Silva e Tati Zaqui. O estrondo deu certo: no YouTube e no Spotify, a faixa já soma quase 100 milhões de visitas em cada plataforma.

De lá para cá, é muito comum ouvir o hit em academias e paradas de sucesso. O rap, uma parceria com Lele JP, já rendeu uma continuação, o hit MDS 2, e agora o primeiro disco da carreira de Kawe, 7 Dígitos, que foi lançado na quarta-feira (7) no streaming.

— E vou trabalhar mais ainda, sempre queremos lançar mais singles e tentar manter a linha que venho trazendo. Jamais posso parar, nossa meta depois do disco é divulgar duas músicas novas por mês — promete Kawe, em entrevista por e-mail a GZH.

Leia mais
Com espaço para shows, oficinas e exposições, Porto Alegre deve ter o primeiro museu do hip hop
Rapper DMX morre aos 50 anos
Rapper Saint Dog morre aos 44 anos

Oscilando entre o funk e o trap, mas o rap em primeiro plano, o álbum conta com sete canções. Segundo o artista, a ideia é explorar diferentes sensações ao longo do material – e não colocar o ouvinte diante de um único conceito.

— Cada música é uma parada diferente da outra. Fiz as músicas em momentos diferentes da minha carreira, tem algumas que estão guardadas há mais de dois anos. Agora, elas estão no disco, porque queria que estivessem em um projeto assim — reforça o rapper.

Futuro

Em sua carreira, Kawe tem procurado se aproximar de outros nomes da geração recente do rap nacional. Matuê, Teto e o Jovem Dex são alguns dos produtores que ele sonha em fazer uma parceria, já que eles têm representado bem o estilo em todo o país.

— Todo mundo que entra e está fazendo a parada acontecer é para somar, seja bom ou seja ruim. Quando eu comecei, também não era dos melhores, mas a gente aprende com o tempo — acredita ele.

Nessa caminhada, o artista também percebe o crescimento de fãs na região sul. Por isso, o público já pode esperar uma aparição dele em terras gaúchas muito em breve.

— Quando eu pergunto onde precisa ter um show do Kawe depois da pandemia, o sul ganha de tudo, até mesmo de São Paulo. Não vejo a hora de acabar a pandemia para conhecer o pessoal daí pessoalmente — garante.

 
 
 
 
 
 

Mais sobre

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros