"Acho correto que a volta seja gradual", diz Bruninho, da dupla com Davi - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Música11/08/2021 | 10h48Atualizada em 11/08/2021 | 10h48

"Acho correto que a volta seja gradual", diz Bruninho, da dupla com Davi

Sertanejos lançam projeto intimista, que pretende percorrer o país, para pequenos públicos

"Acho correto que a volta seja gradual", diz Bruninho, da dupla com Davi Anderson Smoke / Divulgação/Divulgação
Projeto foi gravado em São Paulo Foto: Anderson Smoke / Divulgação / Divulgação

Gravado em São Paulo, o álbum Violada, de Bruninho & Davi, é o retrato dos novos tempos. Afinal, o projeto é intimista, quase no estilo "voz e violão", algo bastante executado nos pequenos shows que, aos poucos, estão voltando a rolar. A ideia para compor o trabalho surgiu bem antes da pandemia, em 2018, com a intenção de levar ao público uma proposta alternativa a grandes shows, algo que, hoje, se encaixa perfeitamente na nossa realidade. 

A faixa Faz Justiça foi lançada na semana passada. A partir de amanhã, as próximas canções serão divulgadas, sempre nas quintas-feiras, às 21h, nas plataformas digitais da dupla, que vem do Mato Grosso do Sul. 

- Esse projeto é nosso trabalho mais intimista. Trouxemos um repertório que relembra a fase de ouro do sertanejo universitário, de 2005 a 2013. Tínhamos esse show como uma carta na manga há três anos, um formato de shows menores. Mas, agora, ele será ainda mais importante. Pode ser executado com todos os protocolos, para públicos menores, com toda a segurança - afirma Davi em entrevista ao DG.

 

Cautela

Já Bruninho diz notar que o público anseia por shows no antigo formato, com multidões. Afirma ainda que, com o avanço da vacinação, será possível voltarmos aos grandes eventos, mas mostra cautela.

- Claro, acredito que os shows grandes voltarão, a galera está sedenta. Mas, até lá, temos um caminho a percorrer. Esperamos que o planejamento da vacinação seja cumprido. E, mesmo com a volta dos shows grandes, ter a Violada como opção é muito bom - pontua.

Davi faz coro ao discurso do parceiro:

- Acho correto que a volta seja gradual. A pandemia não acabou. Tudo bem, não estamos tão longe do fim, mas também não estamos tão perto. É terrível não termos eventos durante tanto tempo. Mas eu acho que estamos fazendo certo, é melhor voltar assim, com pequenos eventos, aos poucos, do que não voltar. Temos que respeitar o andar da carruagem.

O disco traz oito faixas, seis inéditas e as regravações de Cê que Sabe, eternizada na voz de Cristiano Araújo (1986 - 2015), e de um pot-pourri de Pra Lembrar de Mim e Curtição, sucessos nas vozes, respectivamente, de Luan Santana e João Bosco & Vinícius. Violada ainda conta com participações especiais: Gustavo Mioto, na faixa Faz Justiça, e duas duplas que estão despontando no sertanejo nacional, os goianos Clayton & Romário, na música Nem com Reza, e Marco Antônio & Gabriel, de Mato Grosso do Sul, na canção Solteirei.

- São duplas bem diferentes, cada uma com sua história. São meninos muito talentosos, e queríamos fazer isso: dar espaço para quem está surgindo, pois sempre fizeram isso pela gente. Agora, neste momento de retomada, isso é ainda mais importante. Vimos muitos artistas e suas equipes tendo muitos problemas - observa Bruninho.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros