Na data que marca cinco anos da morte de Domingos Montagner, viúva e amigos prestam homenagens ao ator - Entretenimento

Versão mobile

 
 

"Para sempre"16/09/2021 | 09h58Atualizada em 16/09/2021 | 09h59

Na data que marca cinco anos da morte de Domingos Montagner, viúva e amigos prestam homenagens ao ator

Artista se afogou no Rio São Francisco em 15 de setembro de 2016, durante folga das gravações de "Velho Chico"

Na data que marca cinco anos da morte de Domingos Montagner, viúva e amigos prestam homenagens ao ator Zé Paulo Cardeal/TV Globo/Divulgação
Em "Cordel Encantado", sua primeira novela, ator viveu o cangaceiro Capitão Herculano Foto: Zé Paulo Cardeal / TV Globo/Divulgação
GZH
GZH

Nesta quarta-feira (15), completam-se cinco anos da morte de Domingos Montagner. O ator foi encontrado morto após um mergulho no Rio São Francisco, durante uma folga nas gravações da novela Velho Chico em Sergipe, em 2016. Montagner tinha 54 anos e deixou a esposa, Luciana Lima, e os filhos Leonardo, Antônio e Dante.

A viúva falou sobre os últimos anos sem o marido ao jornal Folha de S.Paulo. Conforme ela, a experiência do luto, apesar de difícil, promoveu uma maior união da família. 

— Nós crescemos muito como núcleo familiar, ficamos ainda mais próximos e hoje é muito lindo vê-los (filhos) seguindo a vida — disse. — A gente não conseguia pensar como seria dali para frente. Começamos a viver um dia de cada vez para não ficar tão pesado quando fôssemos pensar no futuro. Os amigos, os familiares, a escola e a rotina tiveram um papel fundamental para retomarmos a vida e começarmos a ressignificar tudo a nossa volta.

Nas redes sociais, artistas amigos de Domingos Montagner prestaram homenagens. Carolina Dieckmann, que contracenou com ele na novela Joia Rara, postou uma foto ao lado do ator e escreveu: "Como você faz falta, amigo. Levo você nos meus dias dentro do coração". Ao portal Gshow, a atriz também falou sobre a partida do amigo.

— Falar sobre o Domingos é sempre uma oportunidade de enaltecer o quão generoso, doce e disponível ele era. Como pessoa e como ator — disse.— Gosto de pensar na trajetória dele como um foguete de luz e de amorosidade — finalizou.

A atriz e cantora Lucy Alves, que viveu a esposa do personagem de Montagner em Velho Chico, compartilhou uma foto com ele nos bastidores da novela: "Pra sempre nos nossos corações. Saudade". Ela também falou sobre a saudade do ex-colega à Folha de S.Paulo:

— Domingos era uma pessoa tão leve e despida de vaidades. Eu tive uma oportunidade única de tê-lo como meu primeiro parceiro de cena e isso me deixou confiante e leve para atuar. Ele emanava muita luz e amor. Deixou saudades, muitos fãs e uma linda obra. Um palhaço incrível. Um ser humano esplêndido.

Lilia Cabral, que formou par romântico com o ator na minissérie Divã, um dos primeiros trabalhos dele na televisão, falou sobre o legado deixado pelo artista. 

— Contracenando com ele, eu não tinha dúvidas de que, de uma hora para a outra, ele se tornaria um meteoro. O Domingos faz falta, vai fazer falta durante muito tempo. Todos nós sentimos saudade dele e é uma saudade verdadeira, porque a gente liga a televisão e ele não está lá. Sei que ele está olhando por todos nós, mas acredito que, o que ele fez como trabalho, deixou um carinho muito significativo na arte. Ele era um grande artista — disse ao Gshow.

Gabriel Leone, que interpretou o filho de Montagner em Velho Chico, compartilhou uma publicação em homenagem ao ator em seus stories e acrescentou: "Te amo, paizão. Siga olhando por nós". Ao jornal Folha de S.Paulo, Leone também falou sobre os cinco anos da morte do artista: 

— Encho a boca e o peito para contar onde for e a quem for sobre a minha saudade e a honra que foi tê-lo como amigo e parceiro de cena. Com ele aprendi desde a tomar café sem açúcar até a me portar de forma gentil, sem deixar de ser firme. Me emociona sentir que carrego comigo um pedacinho dele. Domingos existirá para sempre em nossas memórias, nossos corações, nos sets, palcos e picadeiros do Brasil.

Marcos Palmeira, que também atuou em Velho Chico, lembrou a experiência de trabalhar com o artista em entrevista ao Gshow:

— Ele viveu intensamente. Então, acho que hoje a gente só tem que, apesar da morte, comemorar de alguma forma essa existência, desse cara tão importante (...) Sua generosidade, a maneira de se relacionar no set... Domingos foi um grande companheiro.

Marcelo Serrado também prestou sua homenagem ao amigo, publicando uma foto em que aparece ao lado de Domingos Montagner, Camila Pitanga, Gabriel Leone e Marcos Pasquim. "Aqui ao lado dos meus queridos colegas faço uma homenagem a esse grande artista que se foi há cinco anos! Domingos Montagner sempre e sempre! Fera!!!", escreveu. 

Bianca Bin, que trabalhou com Domingos Montagner em Joia Rara e Cordel Encantado, revelou que foi difícil lidar com a notícia da morte do ator e lembrou do cuidado dele com os amigos. 

— Me lembro do dia que não estávamos mais trabalhando juntos e ele foi me fazer uma visita no estúdio para saber como eu estava me saindo com o desafio do novo trabalho. Foi me levar um abraço incentivador. Ele era muito amado, porque sempre soube da importância de espalhar esse amor — disse à Folha de S.Paulo.

Com extensa trajetória no circo, Domingos Montagner estreou na TV em 2006, no seriado Mothern, do GNT. Sua primeira novela foi Cordel Encantado, como o cangaceiro Capitão Herculano. Seu último trabalho foi como o protagonista de Velho Chico, trama das nove que estava ainda sendo gravada quando o ator morreu. 

No cinema, fez longas como Paredes Nuas, Um Namorado para Minha Mulher e Atrás da Sombra. Já no teatro, atuou em espetáculos como Reprise, A noite dos Palhaços Mudos e Mistero Buffo.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros