Feira do Livro começa a tomar forma na Praça da Alfândega - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Festa no Centro24/10/2021 | 14h45Atualizada em 24/10/2021 | 14h47

Feira do Livro começa a tomar forma na Praça da Alfândega

Edição deste ano abre na próxima sexta-feira e terá 56 expositores

Feira do Livro começa a tomar forma na Praça da Alfândega Anselmo Cunha / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Anselmo Cunha / Agência RBS / Agência RBS
GZH
GZH

Na tarde deste sábado (23), pelo menos 15 das 56 bancas da Feira do Livro desde ano já haviam sido montadas na Praça da Alfândega, no centro de Porto Alegre. A equipe também trabalha para levantar a estrutura da cobertura. 

O trabalho começou na semana passada e deve ser concluído na próxima quarta-feira (27), quando os livreiros poderão começar a ocupar os locais. Em formato híbrido, a 67ª edição do evento começará na sexta-feira (29) e segue até 15 de novembro.

Em razão da pandemia, a feira ocorre de forma reduzida. Segundo a organização, os 56 expositores representam cerca de 60% da feira realizada em 2019. Em 2020, o evento ocorreu apenas de forma virtual. Os expositores também terão espaço no site do evento, em que poderão fazer vendas online ou via WhatsApp.

O Pavilhão de Autógrafos individuais segue ao ar livre, em sessões reduzidas e espaçadas, que somam 360 ao longo da feira. Estão previstas 36 lives, duas ao dia, e demais atividades. Sob o slogan "Para ler um novo mundo", o evento tem como patrono o escritor e poeta Fabrício Carpinejar.

Após o anúncio de que a Câmara de Vereadores da Capital não irá retomar o patrocínio do evento, a Câmara Rio-grandense do Livro (CRL), organizadora da feira, decidiu abrir um canal para empresas do setor privado apoiarem financeiramente a iniciativa via Lei Rouanet. As instituições ou pessoas que tiverem interesse em contribuir podem entrar em contato pelo telefone (51) 3286-4517 ou pelas redes sociais da feira antes, durante ou até mesmo após a realização do evento.

Durante seis anos, a Câmara foi uma apoiadora tradicional da Feira do Livro. Há cerca de cinco anos, por motivos de contenção orçamentária, suspendeu a participação. Neste ano, a direção da feira havia pedido cerca de R$ 50 mil à Casa, para arcar com os custos da cobertura do evento, o que foi negado. Neste sábado, a organização afirmou que ainda tem esperança de que os parlamentares repensem a decisão.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros