Guri de Uruguaiana conta história do elixir da longa vida - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Só se fala  noutra coisa!09/10/2021 | 10h00Atualizada em 09/10/2021 | 10h00

Guri de Uruguaiana conta história do elixir da longa vida

Tem coisas que só acontecem no Alegrete, chê!

Guri de Uruguaiana conta história do elixir da longa vida Fabrício Eckhard / Divulgação/Divulgação
É cada coisa maluca que acontece no Alegrete, né? Foto: Fabrício Eckhard / Divulgação / Divulgação

Chê! Este causo, além de verídico, aconteceu de fato. 

Um jovem vendedor ambulante oferecia, numa praça lá no centro do Alegrete, um maravilhoso elixir da longa vida. Enquanto as pessoas formavam um círculo ao seu redor, ele anunciava:

– Todo dia pela manhã, eu tomo uma colher deste elixir e, acreditem, já vivi 300 anos e tenho a saúde e a aparência de um jovem de 30! 

Ouvindo isso, a multidão correu para a banca abarrotada de vidros do tal elixir. Lá, um piá estava a postos para atender os novos clientes. O negócio estava bombando! As pessoas compravam muitos vidros do produtos. 

Um outro negociante, esperto, resolveu desmascarar os vigaristas. Foi até o piá e perguntou em voz alta e firme, para todo mundo ouvir: 

– Ô, guri, que história é essa? Quer dizer, então, que o teu patrão já viveu 300 anos? 

O piá, bem ligeiro, respondeu: 

– Bah, tio! Não sei, não! Eu só trabalho com ele há 140 anos.

CORREIO AMOROSO

coluna do guri de uruguaiana, contracapa de 8 e 9 de outubro de 2021<!-- NICAID(14909794) -->
Quer saber? O vivente não está tão errado assim...Foto: Fabrício Eckhard / Divulgação

Guri, o meu marido tem medo de ir ao hospital fazer um check-up. O que devo fazer?
Olga de Abreu – Alvorada

Bah! Isso me lembra de um causo do Tibúrcio, meu compadre, que também tem medo de entrar em hospitais.

Ele estava com um problema no tal do apêndice. Vou te contar: esse órgão é igual ao Licurgo, não serve para nada e ainda atrapalha! 

Mas aí, eu fui visitar o Tibúrcio no hospital, para dar uma força, né. Quando estava chegando, vi o bagual fugindo, cheio de tubos, da sala de cirurgia. 

– Tibúrcio! Onde é que vai, homem? – gritei.

– Tá louco, cara. Eu vou cair fora daqui! – bradou ele.

– Mas calma, chê, não precisa ficar tão apavorado. É só uma operação de apendicite. Vai tira isso de letra! – falei para ele. 

– Pois é. Era justamente o que a enfermeira estava dizendo lá dentro da sala – respondeu.

– Então, por que está fugindo? – questionei. 

– É que ela estava dizendo isso para o médico que ia me operar – revelou o  Tibúrcio.

TIRINHA

Foto: Artebiz / Divulgação


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros