Guri de Uruguaiana e o causo de sorte que virou azar - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Só se fala  noutra coisa!02/10/2021 | 10h00Atualizada em 04/10/2021 | 10h42

Guri de Uruguaiana e o causo de sorte que virou azar

Gaudério também dá conselho sentimental

Guri de Uruguaiana e o causo de sorte que virou azar Artebiz / Divulgação/Divulgação
Não dá para confiar na sorte, chê! Foto: Artebiz / Divulgação / Divulgação

Chê! Eu não sou muito de jogatina. Mas, uma vez, aconteceu um causo comigo, que me deixou abismado. 

Um dia, tomei um trago e fui dormir às 16h. Sonhei com o número quatro! Acordei assustado e olhei para o relógio: 4h. Saí do quarto, tropiquei na escada e caí de quatro. 

Bah! Aquilo só poderia ser um sinal. 

Peguei um táxi, o final da placa era 44. Perguntei para o taxista: 

– A pista de corrida de cavalos fica muito longe? 

Ele respondeu: 

– Fica a 44 quilômetros daqui! 

No caminho, enfrentamos um congestionamento. Quatro carros se envolveram em um acidente. O taxista perguntou para um policial:

– Algum ferido? 

– Quatro – respondeu ele.

Bah! Ficamos quatro horas parados. Cheguei às 16h no hipódromo. Fazia um calorão: 40º C. Aí, não tive dúvidas! Fui no guichê quatro. Joguei R$ 4 mil no cavalo de número quatro! 

E tu não vais acreditar: não é que ele ficou em quarto lugar? 

Que barbaridade!

Correio amoroso

coluna do guri de uruguaiana, 2 e 3 de outubro de 2021<!-- NICAID(14903502) -->
Essa foi de lascar, né, vivente?Foto: Fabrício Eckhard / Divulgação

Guri, o meu marido é muito pão-duro. O que faço?
Ingrid, de Gravataí 

Bah, Ingrid! Eu tenho um vizinho que é muito pão-duro também, igual ao teu marido. Esses dias, eu estava fazendo uns consertos lá em casa e pedi um favor ao meu sobrinho: 

– Piá, vai lá na casa do nosso vizinho e pede o martelo emprestado para ele. 

O piá foi, mas voltou sem nada nas mãos. 

– Mas o que aconteceu? Cadê o martelo? – questionei. 

– O vizinho disse que não vai emprestar, porque vai gastar a ferramenta – respondeu o guri. 

Bah! Me caíram os butiás do bolso! Não aguentei e falei:

– Que pão-duro! Tá louco. Onde já se viu? Não emprestar o martelo, porque vai gastar! Essa é demais. Então, tá... Vai lá na caixa de ferramentas e pega o meu mesmo. 

TIRINHA

Foto: Artebiz / Divulgação


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros