"O principal é que passe emoção", conta Michel Teló sobre escolhas para time coringa em "The Voice Brasil" - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Novo formato26/10/2021 | 09h03Atualizada em 26/10/2021 | 09h03

"O principal é que passe emoção", conta Michel Teló sobre escolhas para time coringa em "The Voice Brasil"

Após vencer cinco edições consecutivas do reality musical, cantor vai comandar uma espécie de equipe secreta na 10ª temporada

"O principal é que passe emoção", conta Michel Teló sobre escolhas para time coringa em "The Voice Brasil" Fabio Rocha/Globo / Divulgação/Divulgação
Carlinhos Brown, Claudia Leitte, Michel Teló, Iza e Lulu Santos comandam os times do "The Voice Brasil" Foto: Fabio Rocha/Globo / Divulgação / Divulgação

Ele venceu cinco edições consecutivas do The Voice Brasil, levou o campeonato em sua estreia como técnico da versão Kids e deixa todos os jurados oponentes com sangue nos olhos. Michel Teló já se tornou figura de respeito no reality musical da Globo e na 10ª temporada, sua presença pode causar ainda mais impacto devido a mudanças nas regras da disputa que ocorre a partir desta terça-feira (26), após Império, na RBS TV.

Em sua nova fase, o The Voice retorna com uma dinâmica em que o cantor paranaense ganha status de coringa. Enquanto os técnicos fixos Lulu Santos, Carlinhos Brown, Claudia Leitte e Iza elegem publicamente suas vozes preferidas nas duas primeiras fases, Teló fica à espreita, formando seu time em segredo com uma seleção dos participantes eliminados. A partir da etapa da Batalha dos Técnicos, que volta à dinâmica do programa, o público saberá quais cantores foram salvos e seguirão na luta pelo prêmio de R$ 500 mil e um contrato com a Universal Music.

O sertanejo tem encarado a experiência como se estivesse pela primeira vez no reality em busca da voz perfeita. Ele garante que não há uma regra clara para compor seu time.

— Costumo escolher pela emoção que me causa, o jeito de cantar, o timbre. Procuro, claro, uma voz diferente e que tenha um domínio vocal, mas o principal é que passe emoção. É a mistura do canto do candidato com a reação do público — explica Teló, em entrevista por e-mail a GZH.

Talentos

Diretor artístico do programa desde sua estreia em 2012, Creso Eduardo Macedo conta que o The Voice segue dando luz “à riqueza e à pluralidade de talentos que temos” no país. Por isso, destaca que a inclusão de um quinto time abre ainda mais vagas — são 18 cantores em cada equipe no final da primeira fase (antes, eram 16). Ele lembra que, em duas edições, Teló conseguiu captar seu campeão no meio da disputa, salvando o candidato de outro time. 

Como o cantor de Ai, se Eu te Pego assistirá a tudo de fora do jogo, escolhendo a hora certa para agir, é como se o The Voice se tornasse um “velho oeste”, diz Macedo:

— Estimulados pelos acontecimentos desses anos todos do programa, vimos uma oportunidade de criar uma brincadeira nova, instigante e potente para continuar narrando tudo que a gente gosta. Quando me apaixono por algo, e eu sou muito apaixonado por este programa, fico pensando: "Como vou me encantar de novo?" É natural, e tinha que ser especial por conta da data (os 10 anos do programa).

Outra alteração será no comando do The Voice. Por motivos familiares, o apresentador Tiago Leifert anunciou que precisou se afastar das gravações no fim da primeira fase e foi substituído por Andre Marques. Na visão de Teló, o também apresentador do BBB fará muita falta para a atração:

— A gente vai sentir muita falta dele porque foi quem começou o The Voice Brasil. Fico muito impressionado com o profissionalismo e a competência dele, porque sempre levou o programa com alegria e leveza. Ele é a cara do The Voice e vai fazer falta demais.

Duelo

Além do quinto time, o reality tem outras regras novas. Na segunda etapa, apenas Teló poderá resgatar as vozes eliminadas — os outros técnicos são bloqueados. De volta ao programa, a Batalha dos Técnicos promove uma disputa direta entre os jurados. O resultado está nas mãos deles: pela primeira vez, Carlinhos Brown, Claudia Leitte, Iza, Lulu Santos e Michel Teló votam uns nos outros. 

Nesta etapa, um técnico desafia um rival para um duelo e o vencedor é definido pelos votos dos três técnicos que estiverem fora do embate. A disputa direta ficará ainda mais acirrada com um bônus: o técnico que obtiver mais vitórias ao final de todos os duelos de que participar ganha uma vantagem para a fase seguinte, chamada de Remix. 

Essas rápidas mudanças de jogo deixaram os bastidores ainda mais emocionantes. Segundo Jeniffer Nascimento, que conduz as entrevistas com os candidatos antes de entrarem no palco, esta temporada do reality representa uma espécie de recomeço, já que ocorre no momento em que a vacinação contra a covid-19 avança, e os números melhoram.

— O The Voice foi visto como um novo respiro para todos e, mesmo que eles tentem vender o peixe deles durante a conversa, sempre conseguimos extrair o mais profundo que existe na história de cada um — aponta Jeniffer.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros