Porto Alegre em Cena faz performance no Centro Histórico em homenagem a trabalhadores - Entretenimento

Versão mobile

 
 

28º  edição26/10/2021 | 09h13Atualizada em 26/10/2021 | 09h14

Porto Alegre em Cena faz performance no Centro Histórico em homenagem a trabalhadores

Grupo  Teatro Inventário levou à Avenida Voluntários da Pátria intervenção urbana para iluminar as ruas

Porto Alegre em Cena faz performance no Centro Histórico em homenagem a trabalhadores Marco Favero / Agencia RBS/Agencia RBS
Foto: Marco Favero / Agencia RBS / Agencia RBS
Paula Chidiac

Combatentes forçados pelo Império a lutar na Guerra do Paraguai, os Voluntários da Pátria viraram nome de avenida na Capital e serviram de inspiração para performance do 28º Porto Alegre em Cena. Fazendo um paralelismo aos soldados e em homenagem aos trabalhadores que não pararam durante a pandemia da covid-19, o grupo  Teatro Inventário ocupou o Centro Histórico nesta segunda-feira (25) para iluminar as ruas.

A performance ocorreu no quadrilátero entre a Avenida Voluntários da Pátria, Senador Salgado Filho, Rua Doutor Flores e Rua Marechal Floriano Peixoto. O diretor da peça, Thainan Rocha, relembra que a localidade não recebe com frequência atrações culturais — normalmente, elas ocorrem próximo ao Mercado Público. 

— Pensamos na Avenida Voluntários da Pátria porque é uma região que reúne muitos trabalhadores e ela não parou durante a pandemia. Eles não podiam ficar em casa, precisavam trabalhar para que a gente pudesse ficar em casa — afirmou.

No elenco, cada um dos atores representava uma alegoria diferente. São eles: Amanda Santana (origem), Ângela Steiner (esperança), Isadora Fraga (tempo), Priscila Jardim (poesia), Thaini Menegazzo (saúde), além do próprio Rocha (mensageiro). Até a equipe técnica estava caracterizada, com Leonardo Vitorino representando o capital e Renata Lorenzi e Daniel Houten interpretando a mídia. 

Durante a performance, os atores interagiam diretamente com as pessoas. Segundo o diretor, houve até quem tomasse a iniciativa de conversar com os artistas sobre a intervenção. Para ele, isso mostra a necessidade que a população tem de consumir arte. Ao mesmo tempo, defende a ideia de um teatro que possa ser consumido por toda a população:

— O teatro é uma arte da presença, ficamos muito tempo longe do público e não nos serve mais esse espaço segregado. Queremos estar em contato com o público que não tem tempo de ir ao teatro, que não pode pagar ingresso, então levamos o teatro até eles. Achamos que todo mundo merece ter essa experiência.

Visando impactar outra área da cidade que também tem muitos trabalhadores, mas carece de iniciativas culturais, a performance vai se repetir nesta terça-feira (26) na Avenida Assis Brasil, em frente ao Shopping Walling. Enquanto a intervenção no Centro Histórico foi representativa pela história do nome da avenida, esta segunda performance deve ser marcada pelo ineditismo: segundo Rocha, é a primeira vez que o Porto Alegre em Cena intervém no local.

Ainda não é assinante? Assine GaúchaZH e tenha acesso ilimitado ao site, aplicativos e jornal digital. Conteúdo de qualidade na palma da sua mão.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros