O que faz de Zé Felipe, atração do Baila Maori Carnaval, a atual sensação do sertanejo - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Filho de peixe25/02/2022 | 10h31Atualizada em 25/02/2022 | 10h32

O que faz de Zé Felipe, atração do Baila Maori Carnaval, a atual sensação do sertanejo

Evento que será realizado neste sábado e domingo, no Maori Beach Club, em Xangri-lá, também trará nomes como Alexandre Pires, Atitude 67, Zé Neto & Cristiano e Munhoz & Mariano

O que faz de Zé Felipe, atração do Baila Maori Carnaval, a atual sensação do sertanejo Trumpas / Divulgação/Divulgação
Zé Felipe se apresenta no Litoral Norte neste domingo Foto: Trumpas / Divulgação / Divulgação

Sucesso nas plataformas de streaming, nas redes sociais e nas páginas de fofoca: aos 23 anos, o goiano José Felipe Rocha Costa é a principal sensação do sertanejo no momento. Mais conhecido como Zé Felipe, é filho do cantor Leonardo, de quem puxou o gosto pela música, além do jeito despojado e bem humorado. Ele é uma das atrações da segunda noite do Baila Maori Carnaval, neste domingo (27), no Maori Beach Club, em Xangri-lá.

A carreira como cantor teve início em 2014, mas o seu boom veio em 2021, emplacando hits como Revoada no Colchão, Toma Toma Vapo Vapo e Senta Danada. No momento, seu nome aparece em cinco das 50 músicas mais ouvidas pelos brasileiros no Spotify

Seu single mais recente, Malvada, alcançou um resultado expressivo no YouTube: lançado no dia 28 de janeiro, o clipe foi o quarto vídeo mais visto no mundo em 24 horas, conquistando 5 milhões de visualizações em um dia — feito inédito nos últimos quatro anos no mercado brasileiro.

— Sinto que me encontrei musicalmente. Sabe aquela história de fazer algo que te encha os olhos de alegria? É isso! Eu me sinto assim, na vida pessoal e profissional. Não é porque sou filho do Leonardo que tenho de cantar o mesmo estilo. Sou apaixonado por música sertaneja, mas acho super importante mostrar que tenho meu próprio estilo — explica Zé Felipe.

Em suas músicas, há um amplo leque de sonoridades: bachata, reggaeton, brega funk, pisadinha, entre outros. Segundo o jornalista especializado em sertanejo André Piunti, um dos principais trunfos do cantor é manter a cabeça aberta para ritmos novos que viram tendência.

— Desde o início, Zé Felipe está buscando achar um perfil para si. Testou muito e gravou de tudo. Tanto procurou que achou um modelo. Quase todos os artistas se atrasam nesse quesito, porque é um lance meio “não, não faço tal coisa”. Acho que a idade o ajuda bastante — analisa Piunti.

Mas não é só a música: o lado celebridade e influenciador de Zé Felipe também o impulsiona. Constantemente é notícia em sites e páginas de fofoca das redes sociais. O cantor costuma ser bastante aberto sobre sua intimidade, mas vale frisar que não só a dele —  seu lado fofoqueiro lhe rendeu o apelido de “Maria Fifi”.

— É um cara engraçado, que faz dancinha e participa de podcasts. Está sempre expondo a vida dele e as situações dos bastidores dos famosos. Todo mundo vê o Zé Felipe como aquele amigo fofoqueirinho, só que ele se veste bem e tem um apelo enorme com a internet, empilhando um hit atrás do outro. Hoje é certamente um dos shows mais procurados no Brasil — avalia Hans Ancina, comunicador da rádio 92 e DJ, que tocará nas duas noites de Baila Maori.

Essa dinâmica de aliar a exposição nas redes com a carreira musical começou a ganhar força para Zé Felipe a partir de seu relacionamento com Virgínia Fonseca, uma das maiores influenciadoras do país, hoje com 34 milhões de seguidores no Instagram. Eles começaram a namorar na metade de 2020, casaram-se em março de 2021 e têm uma filha, Maria Alice.

Virgínia é um dos pilares para o sucesso do cantor. Além de participar de clipes do marido, a influenciadora costuma divulgar as músicas e suas respectivas dancinhas em seus perfis no Instagram e TikTok, dando aquela calibrada no trabalho.

— Ela me dá força em todos os momentos. É sempre a primeira pessoa que mostro as músicas, aí ela logo pensa na coreografia — relata Zé Felipe. — Nós somos assim, sempre um pelo outro. Quando decidimos construir nossa família, optamos por não ser só marido e mulher, mas também os melhores amigos.

Aliás, seu principal plano para 2022 envolve a esposa:

— Eu e a Virgínia estamos planejando outro filho. Minha meta é continuar no meu caminho e buscando cada vez mais as coisas que trazem felicidade.

Pelo lado do pai, Zé Felipe costuma absorver conselhos. Segundo o cantor, Leonardo lhe ensinou importantes lições sobre respeito ao público e gratidão.

— Em todos estes anos, meu pai sempre me ensinou que o público quer um artista feliz, porque só assim o fã também se sentirá. Você estar no palco é uma benção e não um fardo. É o momento em que só as pessoas que estão curtindo seu show importa. Afinal, saíram de casa para se divertir, e o mínimo que podemos fazer é levar o melhor entretenimento — pondera.

Sobre a apresentação deste domingo no Maori, Zé Felipe garante que será uma folia digna de Carnaval:

— O show tem a melhor vibe possível, quero ver se tá todo mundo ligado nas coreografias e com as músicas na ponta da língua! 

Baila Maori Carnaval

Realizado em dois dias neste final de semana, o Baila Maori Carnaval trará ao Litoral Norte muito pagode e sertanejo. Na noite pagodeira de sábado (26), sobem ao palco Alexandre Pires, Atitude 67 e Eu Sei Que Tu Dança. Além de Zé Felipe, a noite de domingo contará com os sertanejos Zé Neto & Cristiano e Munhoz & Mariano, acrescentando ainda a apresentação de Eme DJ.

Serviço

  • Sábado e domingo no Maori Beach Club (Figueirinha Rodovia RS-389, KM 29, Xangri-Lá – RS)
  • Abertura da casa: sábado, às 22h, com open bar das 22h às 23h30; e domingo às 19h, com open bar das 19h às 21h.
  • Classificação: 18 anos
  • Ingressos: a partir de R$ 45, com passaporte para os dois dias custando entre R$ 135 e R$ 250, pelo site uhuu.com. Desconto de 50% para sócio do Clube do Assinante RBS, limitado aos 50 primeiros ingressos, e 10% para os demais clientes. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros