Depois da dupla, a carreira solo começa a bombar - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Estrelas da Periferia26/04/2022 | 15h19Atualizada em 26/04/2022 | 15h19

Depois da dupla, a carreira solo começa a bombar

Carlos Oliveira, que já teve dupla sertaneja, hoje começa a chamar atenção como protagonista de sua história.

Depois da dupla, a carreira solo começa a bombar Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Artista segue carreira solo, atualmente Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Em 2012, quando o sertanejo universitário começava a ganhar força no Rio Grande do Sul, surgia a dupla Carlos Oliveira & Jeverton. Na época, tiveram sua história contada aqui na seção e conseguiram exposição até fora do Rio Grande do Sul. 

- Naquela época, tivemos um divisor de águas na nossa carreira, principalmente, com o lançamento da música Tá de Caô, que foi sucesso no Rio Grande do Sul e até fora do Estado. Infelizmente, alguns anos depois, o Jeverton, que era segunda voz da dupla, resolveu sair do meio musical - lembra Carlos, hoje em carreira solo, aos 33 anos.

Mas, até chegar na carreira solo atual, Carlos gastou bastante sola de sapato. Depois do término da dupla, voltou a tocar com bandas de baile, para enriquecer seu currículo.

- Buscava retomar meu trabalho, minha identidade. Logo no começo da carreira solo, lancei Espera Amor, que deu uma repercussão boa junto ao público e nas rádios - lembra Carlos.

Leia outras colunas

Bom momento

Carlos, hoje, lembra que a experiência da dupla foi fundamental para o momento que vive atualmente.

- Na época da dupla, sempre puxei pra mim a "responsabilidade da caneta". Na minha carreira solo, segui nessa pegada, compondo a maior de meus lançamentos, e tendo gravado, também, músicas de outros compositores. Mas, acredito que essa preocupação que sempre tive, de escrever minhas próprias músicas, me ajudou a ter boa receptividade junto aos meus fãs - acredita.

Entre os mais recentes lançamentos do músico sertanejo, estão canções como Química Perfeita e Te Esperando - a última já esteve no ranking da Crowley, empresa que monitora a execução de músicas no país, entre as mais tocadas. Para espraiar seus contatos, gravou a canção Bagacerin no Estúdio 438, em São Paulo, local onde já gravaram artistas como Pixote, Bruno & Marrone e Wesley Safadão. A produção da canção ficou a cargo de Alê Músico, que trabalha com o músico Tierry, uma das sensações da música nacional, atualmente. 

- É uma emoção representar o Rio Grande do Sul lá nesse estúdio. Sou muito grato a todos que acreditam em mim. 

Pitaco

k-Róu fala do trabalho de Carlos:

- Bagacerin já é hit, tem produção de qualidade e é uma música muito animada. O Carlos, que seguia em uma linha mais romântica, acertou em cheio nesse novo conceito. Merece todo sucesso!

Aqui, o espaço é todo seu

- Para participar da seção, mande um pequeno histórico da sua banda, dupla ou do seu trabalho solo, músicas e vídeos e um telefone de contato para jose.barros@diariogaucho.com.br.

- Para falar com Carlos, ligue para 99654-5335





 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros