RBS TV exibe neste sábado especial sobre os 40 anos do "Galpão Crioulo" - Entretenimento

Versão mobile

 
 

Celebração24/06/2022 | 08h46Atualizada em 24/06/2022 | 08h46

RBS TV exibe neste sábado especial sobre os 40 anos do "Galpão Crioulo"

Shana Müller e Neto Fagundes apresentam o programa, que vai ao ar a partir das 14h50min

RBS TV exibe neste sábado especial sobre os 40 anos do "Galpão Crioulo" Laurin Souza / divulgação/divulgação
Especial foi produzido pelo Núcleo de Entretenimento da emissora para resgatar e registrar a origem e a evolução do programa Foto: Laurin Souza / divulgação / divulgação
Loraine Luz

Não há melhor lugar no mundo para contar e ouvir histórias do que em um galpão — ao menos por essas bandas de cá do Brasil. Na tarde deste sábado (25), será possível comprovar que galpão também é lugar de fazer histórias.

A partir das 14h50min, logo após o último episódio do Posso Entrar?, a RBS TV exibe o especial Galpão 40 anos — um especial produzido pelo Núcleo de Entretenimento da emissora para resgatar e registrar a origem e a evolução do programa Galpão Crioulo ao longo de quatro décadas.

O programa começou a fazer parte da vida dos gaúchos nas manhãs dos domingos de 1982. A partir dali e por quase 20 anos, foi apresentado ininterruptamente por Nico Fagundes. Em 2000, por conta de um AVC, Nico se afastou brevemente. Por que ele foi o apresentador escolhido para a estreia? Por que a emissora decidiu criar um programa voltado para a música regionalista? Quando e por que passou a apresentar não apenas música, mas dança, poesia, trova? Quem foram os idealizadores, os produtores, os diretores e os artistas envolvidos? Essas e outras perguntas, dando conta dos bastidores do programa, serão respondidas pela primeira vez.

Leia mais
Neto Fagundes completa 20 anos como apresentador do "Galpão Crioulo": “Uso muito do que aprendi com tio Nico”
Especial JA 50 anos retorna à Serra com participação na Expobento e Fenavinho, em Bento Gonçalves

O especial recupera cenas, intercalando depoimentos e shows de música e dança. O roteiro lança um olhar para a história sem perder o contato com o futuro da cultura gaúcha, na medida em que mescla artistas consagrados com jovens talentos.

Entre aqueles que gravaram depoimentos, estão os músicos nativistas Ernesto Fagundes, Cristiano Quevedo, Dante Ramon Ledesma, Luiz Carlos Borges e Elton Saldanha, as cantoras e compositoras Loma e Marlene Pastro, além de Liliana Cardoso (primeira mulher negra nomeada patrona dos Festejos Farroupilhas), de Ayrton Patineti (produtor musical) e dos profissionais envolvidos com a produção na emissora, como Rosana Orlandi, Gino Basso e Alice Urbim.

Esses testemunhos compõem um painel com os momentos mais marcantes dessa história de quatro décadas. Comprovam ainda que o Galpão cumpriu seu propósito se consolidou como uma vitrine para artistas locais — estejam eles consagrados ou apenas começando na carreira.

Atuais apresentadores do programa, Neto Fagundes e Shana Müller fazem declarações emocionantes sobre o envolvimento deles com o programa e com o que a atração significa para a cultura gaúcha.

— Sempre fui admirador do Galpão e sonhava em cantar no programa. Lembro que, quando apareci na TV, voltei para Alegrete e fui aplaudido pelos meus colegas de aula — recorda Neto Fagundes.

Especial Galpão Crioulo 40 Anos<!-- NICAID(15131025) -->
Especial vai ao ar a partir das 14h50min deste sábado (25), logo após o último episódio do "Posso Entrar?"Foto: Laurin Souza / RBS TV

Para ele, o programa é uma vitrine que fortalece a cultura, os músicos e os compositores do Estado.

— O destino fez com que eu apresentasse o programa quando o Tio Nico adoeceu no ano 2000 e, quando ele retornou, fizemos uma dupla que sempre me orgulhou muito. Depois apresentei com a Shana e também com a Analise Severo.  Desses 40 anos, já apresento mais da metade dessa história, mas sou fã do programa desde o início — destacou Neto.  

Para Shana Müller, há 10 anos como apresentadora, o Galpão Crioulo viu nascer e consagrou artistas do sul do Brasil.

— O programa foi capaz de lançar um novo olhar para a tradição, sem perder a essência mas sempre tentando dialogar com as novas gerações e os novos tempos. A minha chegada como apresentadora, num espaço entendido como majoritariamente masculino, é prova disso! —destacou.  

Leia mais
Irandhir Santos agradece o carinho do público e avisa que volta às gravações de "Pantanal" em breve
Jade Picon surge em foto com o elenco de "Travessia", próxima novela das nove
Saiba por onde anda Iran Malfitano, o Orlandinho de "A Favorita"

Em pelo menos dois momentos do especial, fica claro que a essência do programa - unir passado e futuro, ser o galpão para juntar artistas tradicionais e jovens talentos — segue firme e continuará sendo a aposta para os próximos anos.

Um desses momentos se dá quando Maria Alice, jovem revelação recente da música regional, canta Baile de Candeeiro, a primeira trilha do Galpão Crioulo, anterior a Origens. Composta por Albino Manique, Baile de Candeeiro ficou por dois anos na abertura do programa, de 1982 a 1984.

Já no final do especial, passado e futuro voltam a se misturar - como essência e como estratégia de renovação do programa. No encerramento, Neto Fagundes começa cantando uma canção inédita em homenagem aos 40 anos, composta por ele e por Paulinho Fagundes. Em seguida, Shana se junta a ele e, por fim, a música é apresentada por Luiza Barbosa — um dos grandes nomes da nova geração de músicos regionalistas.

Além do especial, o Galpão Crioulo com exibição na manhã do sábado, com início às 6h50min, também será em comemoração ao aniversário. Terá Roda de Chimarrão gravada em Alegrete com participação do músico Chico Paim. Desde abril, o programa tem percorrido o interior do Estado, incluindo passagens por Soledade e Santa Maria, como parte do projeto Encontros Bem Pra Ti, que oportuniza a conexão com o público e valoriza os 40 anos da atração.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros