Argentinos movidos por uma paixão: a seleção de Messi - Copa 2014 - Esportes - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

O Povo da Copa25/06/2014 | 09h02Atualizada em 23/02/2018 | 16h21

Argentinos movidos por uma paixão: a seleção de Messi

Mesmo sem ingresso garantido, dormindo em carros e à base do improviso, muitos invadiram Porto Alegre para torcer pelo seu futebol

<p>Eles montaram hot&eacute;is nos pr&oacute;prios carros, improvisaram o churrasco sobre carrinho de supermercado e at&eacute; dividiram quarto de motel por um banho quente. Para completar a aventura, percorreram milhares de quil&ocirc;metros movidos por uma paix&atilde;o capaz de unir diferentes torcidas de clubes rivais em pr&oacute; de uma na&ccedil;&atilde;o: a sele&ccedil;&atilde;o argentina.<br>Mesmo sem ingresso, os hermanos invadiram Porto Alegre para acompanhar a terceira partida da turma de Messi na Copa do Mundo. Fizeram da capital ga&uacute;cha uma extens&atilde;o de Buenos Aires. Dois acampamentos se formaram na &aacute;rea central da cidade: no Parque Maur&iacute;cio Sirotsky Sobrinho, ao lado do tradicional Acampamento Farroupilha, e no Largo Zumbi dos Palmares, na Cidade Baixa.<br>A estrutura vem sendo providenciada conforme a demanda. Banheiros qu&iacute;micos apareceram no Largo Zumbi dos Palmares. No parque, duas tendas gigantes foram instaladas pela prefeitura _ outras duas j&aacute; estavam abertas mais perto do Acampamento Farroupilha. Ajudariam a proteger barracas da chuva. Um poste estava sendo colocado para garantir a energia do camping improvisado. Todo o esfor&ccedil;o &eacute; feito para que os visitantes contem com infraestrutura m&iacute;nima.<br>Hoje, &agrave;s 13h, quando a sele&ccedil;&atilde;o pisar no campo do Beira-Rio para encarar a Nig&eacute;ria, milhares estar&atilde;o pelos arredores apenas para torcer. E mostrar que est&atilde;o juntos pela Argentina.<br>&#12288;<br>Tr&ecirc;s amigos e banho no motel</p><p>Um beliche dentro de um furg&atilde;o emprestado se tornou a casa dos amigos Cristian Suarez, 32 anos, Augustin Rocha, 30 anos, e Pablo Atala, 30 anos, que sa&iacute;ram sem ingresso de C&oacute;rdoba, no domingo, para aproveitar o clima de Copa. Chegaram na segunda-feira &agrave; tarde e ficaram mais de 12 horas percorrendo Porto Alegre &agrave; procura de um local para estacionar o ve&iacute;culo-casa.<br>- S&oacute; achamos o acampamento por volta das 3h da madrugada, com a ajuda de brasileiros. Nos sentimos em casa aqui - ressalta Pablo.<br>Antes, por&eacute;m, eles viveram experi&ecirc;ncia que entrar&aacute; para o rol das hist&oacute;rias curiosas, daquelas que se conta &agrave;s gargalhadas mesmo d&eacute;cadas depois. Pagaram R$ 15 por uma hora em motel no centro da cidade, na Rua Marechal Floriano. Foi a sa&iacute;da para garantir um banho quente.<br>- Quando chegamos, a balconista ficou nos olhando sem entender. Quer&iacute;amos apenas tomar um banho, mas foi uma situa&ccedil;&atilde;o engra&ccedil;ada - comentou, aos risos, Cristian.<br>- Na sa&iacute;da, foi ainda pior. As pessoas ficaram nos olhando quando sa&iacute;mos a p&eacute; do motel - completou Augustin.<br>&#12288;</p><p>A primeira aventura</p><p>Apaixonados por futebol, os aposentados Adolfo Cabral, 54 anos, e Marta Marquez, 60 anos, de C&oacute;rdoba, compraram o furg&atilde;o no ano passado. O objetivo: acompanhar a Argentina nesta Copa. Nos fundos do ve&iacute;culo, improvisaram um colch&atilde;o e acoplaram um banheiro qu&iacute;mico port&aacute;til.<br>Na chegada &agrave; Capital, na tarde de segunda-feira, foram direto para o acampamento no Parque Maur&iacute;cio Sirotsky Sobrinho. Mesmo sem ingresso, seguir&atilde;o com a sele&ccedil;&atilde;o argentina a partir de Porto Alegre. Se passarem, os hermanos jogar&atilde;o em S&atilde;o Paulo.<br>- Paramos em Alegrete e S&atilde;o Gabriel antes de chegarmos aqui. Esta &eacute; a nossa primeira grande aventura. Estamos muito felizes com a hospitalidade dos brasileiros - disse Marta.</p><p>Vale tudo!</p><p>Tr&ecirc;s colegas de trabalho transformaram um Chevrolet Cruze em hotel. Estacionaram ao lado do Acampamento Farroupilha e dali partem para andar e curtir a festa na Capital. Animados com a primeira viagem em grupo, Omar Alberto Arellano, 45 anos, Victor Manuel Pereira, 37 anos, e Alejandro Amarillo, 36 anos, pediram dez dias de folga no trabalho - s&atilde;o colegas em um Carrefour em Buenos Aires. S&oacute; mesmo a sele&ccedil;&atilde;o para fazer um torcedor do River (Victor) e outro do Boca (Alejandro)dividirem teto. E ainda h&aacute; Omar, fan&aacute;tico pelo Independiente, clube conhecido como Rey de Copas, pelas sete Libertadores conquistadas.<br>- Esta &eacute; uma festa que n&atilde;o poder&iacute;amos perder. O futebol &eacute; o esporte mais importante que existe - afirmou, com convic&ccedil;&atilde;o, Omar.<br>O trio chegou no final da madrugada de ontem, sem ingresso para hoje. De t&atilde;o cansado, Victor colocou o colch&atilde;o fora do carro e dormiu sob barraca improvisada com a bandeira azul e branco como cobertura.<br>- Pela Argentina, vale tudo! - garantiu Victor.<br>&#12288;</p><p>Churrasco em fam&iacute;lia</p><p>Antes mesmo de se instalar no parque, a fam&iacute;lia De Lisio tratou de preparar o churrasco que alimentaria pai, filho, neto e dois amigos, na tarde de ontem. Na brasa, frango, carne de gado e alguns salsich&otilde;es. O patriarca Juan, 51 anos, era o mais animado da turma. Uma van virou hotel da trupe, cujo mascote &eacute; Joaquin, dez anos, neto de Juan.<br>Tamb&eacute;m sem ingressos para a partida, os cinco vieram pela festa.<br>- Estamos fazendo parte desta hist&oacute;ria, pois demorar&aacute; para termos outra Copa na Am&eacute;rica do Sul - justificou Daniel Sagan&iacute;as, 33 anos, um dos amigos da fam&iacute;lia.</p><p>Sonho realizado</p><p>Na caminhonete emprestada por um irm&atilde;o, Gualter Amaya, 26 anos, veio de Santa F&eacute; com o amigo Martin Lucarino, 24 anos, para realizar o sonho de participar de uma Copa do Mundo. Ao som de c&uacute;mbia, os dois se instalaram no parque ainda no domingo e s&oacute; pretendem voltar &agrave; Argentina amanh&atilde;. Planejam ainda mais uma festa pela classifica&ccedil;&atilde;o.<br>- Conseguimos banho quente no Acampamento Farroupilha e estamos comprando comida no supermercado. Os ga&uacute;chos nos receberam muito bem - elogiou Gualter.<br>O ingresso no Beira-Rio &eacute; o que menos importa para os dois.<br>- O que nos trouxe at&eacute; aqui foi o amor pela Argentina. N&atilde;o entraremos no est&aacute;dio, mas estaremos aqui perto apoiando a nossa sele&ccedil;&atilde;o - finalizou Gualter.</p><p>Novo acampamento</p><p>Enquanto uma col&ocirc;nia argentina se formava em meio ao barro do Parque Maur&iacute;cio Sirotsky Sobrinho, um grupo de hermanos preferiu o asfalto do Largo Zumbi dos Palmares. Entre eles, os amigos Jonatan Leoni, 28 anos, e Frederico Nunes, 29 anos, de San Nicol&aacute;s de los Arroyos. Os dois, a bordo de um motorhome emprestado por um amigo, acompanharam a sele&ccedil;&atilde;o argentina nos dois primeiros jogos _ no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. Depois da partida em Porto Alegre, encaram os 1,2 mil quil&ocirc;metros at&eacute; Buenos Aires.<br>Na Capital desde segunda-feira, os dois se decidiram pelo Largo por considerarem mais seguro e perto do com&eacute;rcio.<br>- No outro acampamento h&aacute; muito argentinos - brincou Jonatan.<br>Rapidamente, os dois fizeram amizade com os irm&atilde;os Gabriel e Gualter Diaz, de 40 e 43 anos. Com o amigo Cristian Adauto, 40 anos, os irm&atilde;os sa&iacute;ram de Salta.<br>- Deixamos mulheres e filhos em casa para aproveitar este momento &uacute;nico. Apesar da saudade, est&aacute; valendo muito - disse Gabriel.</p><p>"Melhor viagem da minha vida"</p><p>Para sustentar a estadia de uma semana em Porto Alegre, Marcelo Gonzales, 40 anos, deixou a fam&iacute;lia em C&oacute;rdoba, dormiu no carro e at&eacute; vendeu bandeiras do Brasil na Capital. Ontem, bem instalado numa barraca no Largo Zumbi dos Palmares, preparava salsich&atilde;o assado na churrasqueira improvisada em carrinho de supermercado. Seria o almo&ccedil;o dele e do companheiro de viagem, Jos&eacute; Carvajal, 40 anos. Bastou iniciar a entrevista para outros hermanos contentes, e desconhecidos da dupla, se aproximarem. Em segundos, espocou uma festa argentina.<br>- Esta &eacute; a melhor viagem da minha vida - afirmou Marcelo.<br>Hoje, enquanto boa parte dos argentinos ficar&atilde;o do lado de fora do Beira-Rio, ele estar&aacute; nas arquibancadas. A venda das bandeiras brasileiras serviu para repor o dinheiro gasto com o ingresso do jogo.</p><p><a href="http://www.clicrbs.com.br/cupons/carrefour"><strong>clicRBS Cupons: descontos e ofertas em inform&aacute;tica, smartphones e eletrodom&eacute;sticos</strong></a></p><!-- contentFrom:cms -->
 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros