André Baibich: Como fazer a marcação do Inter funcionar em 2018 - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Opinião17/01/2018 | 07h00Atualizada em 17/01/2018 | 07h00

André Baibich: Como fazer a marcação do Inter funcionar em 2018

Odair quer que seu time pressione a saída de bola, mas a estratégia carrega alguns riscos

André Baibich: Como fazer a marcação do Inter funcionar em 2018 Félix Zucco/Agencia RBS
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

O colega Leonardo Oliveira informa que o Inter planeja fazer uma blitze sobre a saída de bola dos adversários em 2018. A ordem é executar o chamado "perde e pressiona": assim que o time erra um passe ou sofre um desarme, vários jogadores correm para cima do adversário que tomou a bola na tentativa de recuperá-la o mais rápido possível. Em teoria, ótimo. A questão é colocar tudo isso em prática.

Leia mais
Inter faz os últimos ajustes antes da estreia no Gauchão
Por que o Inter pisa em 2018 melhor do que em 2017 e 2016
Inter de Odair dá mais espaço para movimentação de D'Alessandro  

Em princípio, a estratégia será adotada para minimizar eventuais fragilidades defensivas. Algo para dar equilíbrio a uma formação que junta vários jogadores com características mais ofensivas. 

Mas há riscos enormes se esse tipo de marcação for mal executada. Um erro comum, por exemplo, é contar com a participação apenas de quem está perto da bola. O segredo é fazer com que todo o time avance, sem medo. 

Afinal, se os homens de frente "mordem" a bola e a zaga permanece lá atrás, basta ao rival passar por esse primeiro combate para encontrar largo espaço no contra-ataque.

Como tudo nesse Inter que dá seus primeiros passos, a marcação adiantada demanda tempo e, por consequência, paciência para ser aprimorada.

ALÁN RUIZ 1 — Há uma série de fatores que devem entrar na balança na hora de avaliar uma contratação. O sucesso de uma possível segunda passagem de Alán Ruiz, jogador pretendido pelo Grêmio, não depende apenas de seu rendimento em campo. O valor investido é um desses fatores: não há motivo para desembolsar quantias exorbitantes em alguém que não rendeu tanto na passagem anterior pelo clube (com exceção do Gre-Nal do 4 a 1) e não parece ter nível suficiente para assumir a titularidade.

ALÁN RUIZ 2 — Por outro lado, se o Grêmio fechar um negócio favorável do ponto de vista financeiro, Ruiz se converte em opção importante no banco de reservas. Pode ser o reserva de Luan que faltou no momento em que o camisa 7 se lesionou, em meio ao ano passado. Respaldado pela confiança do torcedor, de quem recebe carinho pela atuação na goleada sobre o rival em 2014, tem alguma chance de se firmar.

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros