Conheça a trajetória do atacante uruguaio que está próximo de acertar com o Grêmio - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

Negociação31/01/2018 | 11h01Atualizada em 31/01/2018 | 11h01

Conheça a trajetória do atacante uruguaio que está próximo de acertar com o Grêmio

Gonzalo Carneiro, se aprovado nos exames médicos, reforçará o time na Libertadores

Conheça a trajetória do atacante uruguaio que está próximo de acertar com o Grêmio Divulgação/Defensor
Carneiro foi destaque do Defensor no último Uruguaio Foto: Divulgação / Defensor

Vem das categorias de base de Arsuaga, em Montevidéu, a solução do Grêmio para seu ataque na Libertadores. O uruguaio Gonzalo Carneiro, 22 anos, que pode ser anunciado hoje como reforço para o time de Renato, deixa o Defensor depois de 10 anos. Foi lá onde ele se criou e despontou para o futebol.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho 

Nascido em Curva de Maroñas, a sudeste da capital uruguaia, Carneiro poderia ter escolhido jogar no Danubio, que é o clube de seu bairro. Mas nada feito. Após passar pelas escolinhas do Club Fénix, foi aprovado em testes na equipe com sede a poucas quadras da casa da família. Só que não quis ficar.

— Me senti mais à vontade no Defensor — disse o jogador em recente entrevista ao jornal El País.

Foi aos 12 anos que Carneiro ingressou pela primeira vez no CT de Arsuaga, a casa do Defensor que fica ao leste de Montevidéu. Em sete anos nas categorias de base, ganhou massa muscular e altura. E começou a chamar atenção por sua técnica. Com 1m91cm de altura e físico de jogador de basquete ou de goleiro, não deixou de ser veloz. Pelo contrário.

— É muito difícil de marcá-lo, tem uma arrancada muito rápida. Fez diferença jogando no nosso time. É um jogador jovem, que vai crescer a cada dia — observa Eduardo Acevedo, atual treinador do Defensor.

A estreia de Carneiro pelo time profissional foi em 2015, sob o comando de Juan Tejera. O treinador, que recém chegava ao clube, ficou impressionado pela passada larga e pelo controle de bola do jogador, que tinha 19 anos à época.

— Ele estava recém subindo ao profissional e vi sua vontade de trabalhar sério. É muito bom profissional. Tem muita força física, velocidade e chega facilmente à frente para definir. É mais um dos tantos jogadores formados pelo clube que não têm só técnica, mas que também são bons cidadãos — observa Tejera.

Nos primeiros dois anos como profissional, Carneiro formou dupla de talento com Maximiliano Gómez, centroavante vendido no ano passado ao Celta de Vigo, da Espanha, por 5 milhões de euros. Só que ainda não era titular, geralmente entrava no segundo tempo. E atuava mais recuado, geralmente como meia centralizado. Apenas depois da saída de Gómez é que passou a ser titular, ocupando também a função de homem mais avançado do ataque.

— Ele pode jogar como número 9, mas Carneiro gosta mais de atuar pelos lados ou vir mais de trás. Suas boas atuações e seus gols não deixaram que os torcedores sentissem saudade de Gómez — conta a repórter Silvia Pérez, setorista de Defensor no El País.

— Quando Maxi Gómez foi vendido, disse para a imprensa daqui que não me preocupava, porque tinha Carneiro para substituí-lo. Somos um clube formador, o mais sério do Uruguai. Aqui surgem jogadores de muito potencial e estamos cientes que podemos perdê-los — completa o técnico Eduardo Acevedo, que comandará o clube uruguaio na estreia contra o Grêmio na Libertadores, no dia 27 de fevereiro.

A saída de Carneiro do Defensor foi cercada de polêmica. Seu empresário, Pablo Bentancurt, um dos principais do Uruguai, não aceitou renovar o vínculo que se encerra em junho e acertou com o clube sua liberação. Assim, o Grêmio pagaria R$ 3 milhões ao agente para acertar a contratação.

— O clube queria renovar o contrato, mas Carneiro não permaneceu pela vontade de Bentancurt. É por isso que ele está saindo — completa Silvia Pérez.

Somente no ano passado, pelo Campeonato Uruguaio, Carneiro marcou 10 gols. Mas, ao final da competição, o atacante sofreu com uma pubalgia, que o tirou da decisão com o Peñarol, que ficou com o título. Até por isso, o Grêmio enviou ao Uruguai nesta terça, junto ao executivo André Zanotta, o médico Paulo Rabaldo para avaliar a situação física do jogador. Após uma bateria de exames, Rabaldo confirmou que o jogador ainda sente dores no púbis. Mas nada que deva inviabilizar a contratação.

— Ele está em fase final de recuperação, o exame mostrou alterações no púbis. Mas não é nada grave — explicou o médico.

Agora, a direção do Grêmio avaliará os resultados antes de fechar o negócio. A intenção do clube é evitar a mesma frustração que teve ano passado com Gabriel Fernández, do Racing-URU, que chegou a vir a Porto Alegre, mas foi reprovado nos exames médicos.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros