Cacalo: "Jael é um goleador que não se entrega jamais" - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

"Paixão tricolor05/04/2018 | 07h01Atualizada em 05/04/2018 | 07h01

Cacalo: "Jael é um goleador que não se entrega jamais"

Centroavante fez um golaço e abriu a vitória gremista sobre o Monagas, da Venezuela

Cacalo: "Jael é um goleador que não se entrega jamais" Fernando Gomes/Agencia RBS
Jael conquistou a confiança da torcida e do técnico Renato com assistências em um primeiro momento e, agora, gols Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

O Monagas estava oferecendo resistência ao Grêmio. O primeiro tempo terminou empatado. No intervalo, Renato ajeitou as coisas no vestiário. Tinha que sair logo o primeiro gol. O centroavante que decide não é aquele que, quando o jogo está 4 a 0, faz dois gols. Claro, isso é ótimo. Mas o centroavante decisivo é aquele que, em jogo complicado, facilita para o seu time, marcando gol importante. E ainda um golaço, de técnica, coragem e oportunismo. Este é Jael. Mas a resistência irá continuar, tem gente que não gosta. 

No entanto, tenho sempre repetido: tenho ciência plena das limitações do centroavante Jael. Mas, inegavelmente, ele cumpre seu papel. E agora, além de ser o campeão das assistências, começou a fazer gols. Ou seja, essas são as funções essenciais de um centroavante. Além disso tudo, Jael é batalhador, ajuda na marcação e não se entrega jamais.

Leia mais
Ao não encerrar o tema Flamengo, Renato só aumenta o pânico da torcida do Grêmio
Após golear o Monagas, jogadores revelam "puxão de orelha" de Renato no intervalo
Com segundo tempo de luxo, Grêmio goleia o Monagas por 4 a 0 na Arena

A atuação da equipe no segundo tempo de ontem esteve dentro dos padrões do Tricolor. Nosso time era e foi superior ao adversário, e qualquer resultado que não fosse a vitória gremista seria uma surpresa. Estamos próximos do líder do grupo, o Cerro Porteño, mas logo estaremos diante desse enfrentamento em duas oportunidades seguidas e aí veremos quem é quem. 

Glorioso Gauchão

Até lá, vamos em busca do título do glorioso Gauchão. Seria bonito, respeitando o time pelotense, que obtivéssemos uma vitória em Pelotas, para coroar as atuações gremistas no mata-mata. Nas próximas colunas, vou relembrar aos gremistas a conquista do hexacampeonato gaúcho, em Pelotas, contra o mesmo Brasil, lá pelos idos de 1967. 



 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros