Por que Renato insiste com o lateral Marcelo Oliveira - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Polêmica tricolor10/08/2018 | 10h58Atualizada em 10/08/2018 | 13h40

Por que Renato insiste com o lateral Marcelo Oliveira

Atleta experiente e dedicado, elogiado pelos dirigentes e um dos mais sólidos líderes do grupo tricolor, o lateral canhoto não agrada aos torcedores, mas tem o apoio do seu solidário treinador

Por que Renato insiste com o lateral Marcelo Oliveira Lucas Uebel/
Marcelo Oliveira, com a bola, ou Cortes? A lateral-esquerda é uma das discussões do momento na casa gremista Foto: Lucas Uebel

Baiano de Salvador, cria da base do Corinthians, 31 anos, sete clubes na carreira, no Grêmio desde 2015, Marcelo Oliveira Ferreira é um jogador questionado. Não pela falta de suor, entrega, dedicação. É pelo futebol mesmo.

Marcelo Oliveira treina como nunca. Puro exemplo. Faz bem ao grupo. Posiciona-se como um dos líderes centrais: voz ouvida nos treinos, no CT, nas concentrações e nas viagens.

Leia mais
Cagliari insiste, turbina proposta e tem prazo para levar Kannemann
Grêmio começa a falar inglês e espanhol com o mundo
Poupômetro tricolor: quem jogou e quem ficou de fora no Grêmio após a parada da Copa
A posição do Grêmio sobre a nova investida italiana em Kannemann

Os dirigentes não têm queixas do seu comportamento fora das clássicas quatro linhas.

Pelo que se vê nos 90 minutos, pela análise dos especialistas, pelo grito rouco da torcida, Marcelo Oliveira não dá o que o carioca Bruno Cortes, também com 31 anos, mas seis centímetros mais baixo do que os 1m84cm do colega, oferece ao time. Pode menos. A equipe sente. Fica mais frágil quando defende, cria e ataca. 

A titularidade do lateral esquerdo Marcelo Oliveira não é um mistério. É um gesto de Renato, que confia no jogador e rema contra uma forte maré de críticas. Ele estende uma mão firme ao jogador, um dos líderes do seu tranquilo vestiário. Paz entre quatro paredes costuma ser um dos segredos do sucesso dos grandes gestores no futebol. Renato é um dos melhores.

Com boas ou más decisões, escalações certas ou nem tanto, Renato Portaluppi, quase 56 anos, treinador desde 2000, trabalha como um dos melhores técnicos do país. Está no grupo que frequenta o topo. Treinaria qualquer grande clube do Brasil. 

Renato pode escalar quem quiser. É seu time. O que ele precisa mesmo é explicar as formações. É seu dever. Todos querem ouvir.O torcedor apaixonado merece. Treinadores precisam ilustrar as suas decisões mais polêmicas. Eles também são pagos para informar, esclarecer, aparar as dúvidas.

Renato não informou ainda os motivos que fazem de Marcelo Oliveira um dos seus titulares. Ele deve ter muitos. 

Sem Marcelo Oliveira e com Cortes, o time alternativo do Grêmio espera a visita do Vitória, no domingo, às 19h, pelo Brasileirão, antes das disputas da Copa do Brasil e da Libertadores.

  Ainda não tem o app Tricolor GaúchaZH? Acesse todas as informações sobre o Grêmio na palma da sua mão!   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros