Cacalo: "Grêmio vai fragilizado para as partidas contra Fluminense e Palmeiras" - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão tricolor27/09/2018 | 07h00Atualizada em 27/09/2018 | 07h00

Cacalo: "Grêmio vai fragilizado para as partidas contra Fluminense e Palmeiras"

Com boa parte do time reserva, inegavelmente os adversários entrosados, treinados e em ritmo constante de jogo, têm vantagem

Cacalo: "Grêmio vai fragilizado para as partidas contra Fluminense e Palmeiras" Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação
Kannemann é um que deve desfalcar o Tricolor nas duas partidas Foto: Lucas Uebel / Grêmio/Divulgação
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

As negativas oriundas da CBF e do técnico Tite, combinadas com a provável convocação do zagueiro Kannemann pela seleção argentina, mesmo que não queiramos, cria uma certa fragilidade à equipe tricolor em relação ao time titular. Claro que me refiro ao jogo contra o Palmeiras, mas também precisamos examinar a questão da partida do próximo final de semana, contra o Fluminense

Leia mais
Thonny Anderson fala sobre adaptação ao ataque e ressalta pedido de Renato
Grêmio renova com Pepê até 2022
Árbitro chileno apita jogo de volta entre Grêmio e Atlético Tucumán pela Libertadores

Obviamente, sabia-se que o clube carioca, não iria concordar com qualquer tipo de alteração na data da realização da partida, mesmo que isso não mudasse nada para o seu time. Mas é do jogo e da vida. Por aqui, cada um cuida de seus interesses, mesmo que eles não levem a nada. 

Assim, diante da estratégia adotada quase sempre pelo Grêmio, considerando o tempo entre um jogo pelo Brasileirão e outro pela Libertadores, sem o necessário período de descanso, é visível que contra o Fluminense o time gremista estará recheado de reservas. Podem fazer boa partida e, inclusive, já obtiveram importantes vitórias. Porém, inegavelmente, é uma vantagem para adversários entrosados, treinados e em ritmo constante de jogo. 

A força da "gloriosa" CBF

Penso que temos de respeitar a opção da comissão técnica do Grêmio, mesmo que, eventualmente, possamos divergir, o que não é o meu caso, porque quando fui dirigente também agi desta forma. Contudo, o campeonato perde a seriedade e fica contaminado com algumas equipes levando vantagem. É a força da "gloriosa" CBF e de seu prestigiado treinador.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros