Guerrinha: as consequências da crise provocada pelo coronavírus para o Grêmio  - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Dificuldade31/03/2020 | 08h00Atualizada em 31/03/2020 | 08h00

Guerrinha: as consequências da crise provocada pelo coronavírus para o Grêmio 

Volume de negociações no mundo do futebol deve ser bem menor por conta da pandemia

Guerrinha: as consequências da crise provocada pelo coronavírus para o Grêmio  Celso Pupo/Fotoarena/Lancepress!
Tendência é de que a maioria dos compradores europeus vá poupar dólares e euros na próxima janela Foto: Celso Pupo / Fotoarena/Lancepress!

Ficou mais difícil.

Leia mais
Imagens de supostas novas camisas do Grêmio vazam nas redes sociais
A ideia da Fifa que pode ser um alento para as finanças de Grêmio e Inter em meio à crise
Pacto de silêncio, conversas rápidas e pagamentos em 2021: como foi o acerto entre Grêmio e jogadores

Apesar da melhor e incomparável saúde financeira em relação aos nossos clubes, a tendência é de que a maioria dos compradores europeus vá poupar dólares e euros na próxima janela.

Isso significa dizer que os qualificados Everton e Pepê, sempre na mira de interessados do outro lado do oceano, devem continuar trabalhando com a camisa do Grêmio, o que não deixa de ser uma bela notícia para a torcida, que sonha com vitórias e títulos, e uma informação nem tão boa para o clube, que sempre precisa faturar.

 Silêncio

Os dias estão passando, a gravata cada vez mais apertada e, até agora, a CBF, dona de uma conta bancária das mais polpudas, permanece calada sobre a questão de ajudar aqueles que mais necessitam. Caso os dirigentes da entidade mantenham a posição, muitos clubes podem encerrar as atividades.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros