José Augusto Barros: tenho receio sobre a volta do futebol - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Tricolor20/05/2020 | 07h01Atualizada em 20/05/2020 | 07h01

José Augusto Barros: tenho receio sobre a volta do futebol

Mesmo que todos os protocolos de segurança sejam seguidos, retomada gera incertezas

José Augusto Barros: tenho receio sobre a volta do futebol Lucas Amorelli/Agencia RBS
Entendo a importância que o futebol tem para a economia do país, mas, sinceramente, tenho receio Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Ocupo este espaço, pelos próximos dias, enquanto o titular da coluna, nosso grande mestre e um dos dirigentes mais vitoriosos da história do Grêmio, Cacalo, está em férias. Nesse momento, a responsabilidade é ainda maior, pelo momento que vivemos, com o futebol brasileiro parado por conta da pandemia de coronavírus

Leia mais
Nova testagem no elenco do Grêmio deve se iniciar nesta semana
Nova investida do Napoli por Everton renderia ao Grêmio 10% do valor da multa rescisória
Sem sintomas de covid-19, Diego Souza deve voltar a treinar na próxima semana

Então, sabemos que cada opinião emitida sobre o retorno dos jogos, tema dos mais abordados atualmente, tem que vir acompanhado de responsabilidade. Nesta linha, e respeitando a opinião de colegas de imprensa, tenho sérios receios sobre a volta do Gauchão em julho

Mesmo que todos os protocolos de segurança sejam seguidos, e o serão, pelo que demonstra a firmeza com que Eduardo Leite e Nelson Marchezan Jr. conduzem o tema, tenho receio. Entendo a importância que o futebol tem para a economia do país, para o entretenimento das pessoas que estão em situação de isolamento social. Mas, sinceramente, tenho receio, respeitando sempre opiniões em contrário, e torcendo que elas estejam certas, diga-se de passagem.

Um bom negócio

Falando das movimentações do futebol propriamente dito, a noticiada nova investida do Napoli por Everton é uma informação que pode salvar o ano do Grêmio, financeiramente falando. 

Claro, se o negócio se concretizar, o clube receberá muito menos dinheiro que tinha projetado, quando renovou contrato com o atacante, em 2019, e ampliou a multa rescisória. Porém, o presidente Romildo Bolzan, sensato que é, já afirmou que o clube está pronto para avaliar valores menores que os da multa rescisória. 

Quem acompanha o mundo do futebol, sabe que Everton vem "perdendo" valor de mercado a cada janela que passa e ele não é vendido para o Exterior. Torço para que o Tricolor faça um bom negócio com ele, para que não tenhamos um novo "caso Luan".

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros