José Augusto Barros: os mesmos erros de sempre - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Tricolor22/01/2021 | 09h00Atualizada em 22/01/2021 | 09h01

José Augusto Barros: os mesmos erros de sempre

O Grêmio já tinha abandonado a briga pelo título antes de alcançar o 15º empate em 30 jogos do Brasileirão

José Augusto Barros: os mesmos erros de sempre Félix Zucco / Agencia RBS/Agencia RBS
Grêmio se aproxima de recorde histórico como time que mais empatou no Brasileirão de pontos corridos Foto: Félix Zucco / Agencia RBS / Agencia RBS

Após o empate que praticamente nos tirou da disputa do título do Brasileirão, começaram os clássicos comentários, de parte da torcida gremista, que tínhamos que ter ganho do Atlético-MG, que aquele era o jogo decisivo e tudo mais. Evidentemente, se tivéssemos ganho os últimos dois jogos, contra o Palmeiras e contra o Galo, estaríamos em melhor situação. Mas, historicamente, a gente sabe que os campeões brasileiros fazem mais pontos contra os chamados times "menores". Empate contra o Galo ou Palmeiras é totalmente do jogo. E, agora, volta a mesma a história que já vimos há anos, como se o empate de quarta-feira (20) tivesse tirado nossas chances. Não foi neste jogo que perdemos a chance de disputar o título.

Para sustentar minha afirmação, faço uma lista aos leitores dos jogos que empatamos contra times que tínhamos obrigação de ganhar. Caso, é claro, o Grêmio quisesse ser campeão brasileiro: Fortaleza (dois empates), Sport (um empate e uma derrota), Goiás (empate), Atlético-GO (empate) e Ceará (empate). Se o Grêmio tivesse ganho apenas três desses jogos que ele empatou, obrigação de um time que quer ser campeão, teríamos seis pontos  a mais e estaríamos vivos na briga pelo título. Mas, por mais um ano, não fizemos o tema de casa.

Leia mais
Por que Lucas Silva e Thaciano levam vantagem sobre Darlan na disputa por vaga no Grêmio
O que vale a vitória no Gre-Nal para o Grêmio
Grêmio tem novo problema médico no meio-campo e aumenta mistério para o Gre-Nal

Não é obrigação ganhar de time que está no G4 ou no G6, são jogos imprevisíveis. Obrigação, sim, é ganhar de time que está na segunda metade da tabela. Seja por incompetência do time ou por aquelas preservações de jogadores que Renato promove que só ele entende, esses fatos se repetem, ano após ano. Caso o querido leitor, se interesse, pesquise quais jogos o Grêmio deixou de ganhar em campeonatos anteriores e verá: sempre morremos contra os mesmos times.

Enquanto o Grêmio não aprender a jogar campeonato de pontos corridos, seguiremos nos lamentando pelas mesmas causas. Empates contra os mesmos times fracos, preservações de jogadores que colocam em risco a campanha.

E seguiremos culpando "um só jogo", tratando aquele jogo como decisivo. Enquanto essa cultura não mudar, e o clube não entender que o jogo contra o Sport vale os mesmos três pontos que o Gre-Nal, não levantaremos o caneco do Brasileirão.  

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros