Luciano Périco: o necessário puxão de orelha dado por Renato Portaluppi - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Bronca08/01/2021 | 09h00Atualizada em 08/01/2021 | 09h00

Luciano Périco: o necessário puxão de orelha dado por Renato Portaluppi

Treinador se mostrou incomodado com possível saída de Pepê para a Europa

Luciano Périco: o necessário puxão de orelha dado por Renato Portaluppi Alexandre Schneider/POOL/AFP
Técnico gremista espera contar com o atacante na decisão da Copa do Brasil Foto: Alexandre Schneider / POOL/AFP

Renato Portaluppi não é homem de mais palavras. Quando quer passar um recado, o papo é reto. O treinador gremista foi cirúrgico ao tratar da situação de Pepê na entrevista coletiva, após a vitória sobre o Bahia. Ele fez questão de deixar claro que pretende contar com o atacante na reta final do Brasileirão e na importante decisão da Copa do Brasil.

A manifestação foi direta para o empresário de Pepê, Adriano Spadotto, que tem se mostrado ansioso demais para efetivar uma transferência do jogador com o futebol europeu, falando inclusive, em entrevistas para a imprensa de fora do Brasil, dos valores de negociação. Uma questão é clara. Quem deve definir números da transação é o Tricolor.

Leia mais
CBF apresenta nova ideia de datas para a final da Copa do Brasil entre Grêmio e Palmeiras
Victor Ferraz deve voltar ao time do Grêmio contra o Fortaleza
Ligação na palestra, pedido inusitado e oferta ao rival: por que o Cruzeiro não negociou Orejuela com o Grêmio

É inegável a qualidade de Pepê como atacante incisivo e que marca gols. Mas ele precisa estar focado no campo. Não pode entrar na pilha e deixar de render o que pode. A Europa é o destino natural para o guri. Questão de tempo. Ansiedade não é o melhor caminho. Everton Cebolinha é o melhor exemplo que Pepê pode seguir. Soube esperar o momento exato para deixar o Grêmio, sem qualquer tipo de pressa. Sempre ligado na bola.

Aliás, o atual momento do futebol é muito interessante para se discutir a postura de alguns agentes de atletas, que precisam baixar a bola. Respeitar os clubes, que são os verdadeiros formadores e dão espaço para os talentos se desenvolverem. O exemplo recente de Ferreira, que perdeu muito tempo na temporada com as dificuldades para renovar o contrato pela bronca do seu empresário com os dirigentes gremistas, foram negativas apenas para o guri, que ficou afastado do grupo principal. Perdeu terreno na busca por titularidade. Felizmente, para os dois lados, arestas foram aparadas e o atacante foi reintegrado ao grupo principal, virando uma excelente opção para Renato. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros