Zé Alberto: Grêmio se despediu do título, mostrou que precisa de Ferreira e depende dos volantes - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Em casa20/01/2021 | 21h29Atualizada em 20/01/2021 | 21h29

Zé Alberto: Grêmio se despediu do título, mostrou que precisa de Ferreira e depende dos volantes

Tricolor ficou no empate com o Atlético-MG

Zé Alberto: Grêmio se despediu do título, mostrou que precisa de Ferreira e depende dos volantes Félix Zucco / Agencia RBS/Agencia RBS
Ferreira entrou na segunda etapa e deu ao time lampejos ofensivos Foto: Félix Zucco / Agencia RBS / Agencia RBS
José Alberto Andrade
José Alberto Andrade

ze.alberto@rdgaucha.com.br

Renato Portaluppi precisa se render a Ferreirinha. Se ele não for titular absoluto a partir de agora, merece pelo menos uma minutagem maior nas partidas. Contra o Atlético-MG a atuação tricolor foi de ruim a regular, mas teve alguns momentos bons apenas após as substituições ofensivas e o atacante foi fundamental nestes lampejos. 

Confira a classificação do Brasileirão 2020

O resultado não foi excelente e faz com que o Grêmio, de fato, fique mais distante do sonho do título brasileiro. O desempenho tricolor não recomendou resultado diferente, mas acabou mantendo a larga invencibilidade um tanto enganosa que dá algum respaldo moral, mas pouca sustentação na tabela. Pensando em Brasileirão, resta a ambição do G-4 e uma quase certeza de G-6, desde que melhorando coletivamente e tendo recuperações individuais urgentes como as de Pepê e Jean Pyerre, além de outras como Alisson e Diogo Barbosa. 

Leia mais
Grêmio sai atrás, empata com o Atlético-MG e fica longe da briga pelo título brasileiro
O rendimento de Maicon quando joga os 90 minutos, quando entra na partida e quando é substituído

Volância  

O Grêmio vitorioso de Renato Portaluppi sempre foi um time movido pela qualidade de seus volantes. Maicon é símbolo desta era que teve gente como o campeão olímpico Walace, o consagrado Arthur, o valorizado e bem negociado Jaílson ou mesmo Michel, com um ano de graça que lhe valeu uma Bola de Prata no Brasileirão. 

Matheus Henrique é o último suspiro de diferenciação no setor, mas passa por uma fase bem abaixo do que a vista quando foi lembrado para a Seleção Brasileira. Sem Matheusinho e com Maicon entrando apenas na etapa final e saindo com voz embargada, no jogo contra o Atlético-MG o que se viu foi o comprometimento na proteção aos zagueiros e a carência no início das jogadas. O coração da equipe tricolor está comprometido e comprometendo. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros