Cacalo: os desafios do Grêmio nesta reta final de temporada - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Tricolor06/02/2021 | 09h00Atualizada em 06/02/2021 | 09h00

Cacalo: os desafios do Grêmio nesta reta final de temporada

É hora de muito trabalho nos treinamentos e muita superação nos jogos

Cacalo: os desafios do Grêmio nesta reta final de temporada Lucas Uebel / Grêmio/Divulgação/Grêmio/Divulgação
Somente a técnica dos atletas não será suficiente para vencer Foto: Lucas Uebel / Grêmio/Divulgação / Grêmio/Divulgação
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

Considerando que estamos chegando ao final do Brasileirão, e o Grêmio hoje se encontra na 7ª colocação, entendo que ainda há chance maiúscula de classificação à Libertadores de forma direta ou, na pior das hipóteses, para a fase classificatória. 

O Palmeiras, que vem à frente do Grêmio, já está classificado em face de ter conquistado essa competição neste ano de 2020. Não será fácil porque os adversários têm boa vantagem sobre o Tricolor, mas não podemos desistir da busca dessa classificação. 

Para tanto, o time gremista não pode ser tão desanimado como tem demonstrado. É hora de muito trabalho nos treinamentos e muita superação nos jogos. Cada partida, a partir de agora, será uma nova batalha para vencermos a guerra. 

Leia mais
Em negociação por Pepê, Grêmio e Porto encaminham seguro para o caso de lesão do jogador
Balanço dos empates: os jogos que afastaram o Grêmio do título do Brasileirão
A cada dez pênaltis marcados contra o Grêmio no Brasileirão, seis foram por mão na bola

A esta altura dos acontecimentos é necessário que os profissionais esqueçam tudo o que passou e, com a responsabilidade que possuem, busquem uma forte dedicação, uma doação e uma entrega total, visando as vitórias. Somente a técnica dos atletas não será suficiente para vencer. É necessário suar sangue se for preciso. 

A superação é parte integrante de uma conquista, que nunca vem sem o máximo de esforço. Neste rumo, é fundamental que haja muito trabalho, mas por igual muita mobilização interna. Precisamos, como eu dizia na minha época de dirigente, "incendiar o vestiário", e nossos atletas entrarem em campo super motivados.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros