Luciano Périco: o bom futebol abandonou o Grêmio - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Péssimo empate12/07/2021 | 08h00Atualizada em 12/07/2021 | 08h00

Luciano Périco: o bom futebol abandonou o Grêmio

Jogadores mostraram muita dedicação no Gre-Nal, mas o desempenho técnico da equipe gremista ainda foi fraco

Luciano Périco: o bom futebol abandonou o Grêmio Jefferson Botega / Agencia RBS/Agencia RBS
Sem tempo para treinar a equipe antes da estreia, Felipão enalteceu a dedicação do Tricolor no 0 a 0 do clássico 433 Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS / Agencia RBS

Com o empate em 0 a 0 no Gre-Nal, o Grêmio continua a sua via-crúcis de não vencer no Brasileirão. Passadas nove partidas, o Tricolor não consegue se livrar da vergonhosa lanterna. Apenas três pontos em 27 disputados. A atuação gremista foi novamente muito ruim no clássico. Uma rotina na competição de pontos corridos. A bola está queimando no pé dos atletas. A confiança desapareceu. 

O time não tem criatividade. Perdeu o ímpeto ofensivo. O ataque estancou. Claramente, as peças estão desencaixadas. O futebol do Grêmio foi sumindo no decorrer da temporada. A paciência do torcedor se esgotou. Luiz Felipe Scolari terá muita dor de cabeça para colocar as coisas nos trilhos.

Leia mais
Ainda na lanterna, Grêmio elogia entrega e "alma" do time em empate no Gre-Nal 433
Felipão pede tempo para Douglas Costa deslanchar no Grêmio: "Aos poucos, vai melhorando o físico"
"Satisfeito com o resultado", diz vice de futebol do Grêmio após empate no Gre-Nal

Apesar do cenário sombrio, o Gre-Nal 433 deixou um legado positivo para o Tricolor. Estreante em clássicos, Gabriel Chapecó teve uma atuação maiúscula. Evitou o pior. O guri de 21 anos, substituto de Brenno, fez grandes defesas e mostrou que não é necessário ir ao mercado para buscar um goleiro mais experiente. 

Como escreveu o colunista Leonardo Oliveira aqui em GZH, o duelo do sábado (10) na história será o "Gre-Nal do Chapecó". Sem tempo para trabalhar com os atletas desde a chegada na Arena, Felipão fez poucas mudanças na escalação da estreia. Não havia como ser diferente. A cirurgia precisa ser feita aos poucos. Colocar Fernando Henrique no meio-campo já foi uma boa medida. O guri não comprometeu. Pode ter uma sequência para ganhar confiança. 

Já a colocação de Alisson pelo lado direito, não funcionou. A atuação do camisa 23 foi a mesmice de sempre. Muita correria e nenhuma contribuição ofensiva. Atuando mais centralizado - o que não é a melhor alternativa - Douglas Costa teve muita entrega, mas ainda não está 100% fisicamente. Rafinha e Cortez jogaram pouco. 

De novo, Diego Souza esteve abandonado na frente. Com pouca mobilidade, não conseguiu vitória pessoal sobre a defesa colorada. As entradas de Jean Pyerre, Vanderson e Ricardinho melhoraram um pouco o desempenho na etapa final. Insuficiente para ameaçar a meta de Daniel. E a grande baixa do Gre-Nal foi Ferreira. Ele teve uma lesão parcial no ligamento do joelho direito

O atacante corre o risco de ter que passar por uma cirurgia. Mesmo não estando na sua melhor fase, o Grêmio pode perder por um tempo uma peça importante na remontagem da equipe. Mas o momento agora é de virar a chave e pensar na LDU pela Sul-Americana nesta terça-feira (13).

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros