Cacalo: não podemos nos iludir com a vitória do Grêmio contra o Fluminense - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Tricolor11/11/2021 | 07h00Atualizada em 11/11/2021 | 07h00

Cacalo: não podemos nos iludir com a vitória do Grêmio contra o Fluminense

Os três pontos e a atuação devem ser comemorados, mas temos mais jogos extremamente difíceis pela frente

Cacalo: não podemos nos iludir com a vitória do Grêmio contra o Fluminense Lucas Uebel / Grêmio/Divulgação/Grêmio/Divulgação
Diego Souza garantiu a vitória gremista na Arena com belo gol de cabeça Foto: Lucas Uebel / Grêmio/Divulgação / Grêmio/Divulgação
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

O Grêmio passa por um momento onde tudo que não pode acontecer é a ilusão pela vitória contra o Fluminense. Foi e deve ser comemorada, dentro dos limites da atuação tricolor, pois embora tenha jogado bem, foi uma partida muito disputada. Com menos chances, o time carioca também teve suas oportunidades de marcar e até de sair na frente do placar, não fosse o gol anulado pelo VAR.

Mas foi visível a evolução da equipe gremista. E não quero personalizar neste ou naquele jogador, pois o conjunto demonstrou bom futebol. Houve garra, vontade de vencer e entrega dos atletas. No entanto, procuro ter muita cautela para fazer uma correta avaliação sobre o que assisti em campo. Claro que foi uma boa atuação, mas há situações que ainda precisam ser aperfeiçoadas.

Sigo preocupado com a pouca quantidade de jogadores no meio-campo, pois normalmente enfrentamos adversários com até cinco no setor. Não temos passado de três nas funções de meio. O desgaste se torna exagerado e, às vezes, sobram espaços para os contra-ataques adversários. 

Leia mais
Mancini pode promover até quatro mudanças no Grêmio que enfrentará o América-MG
Gols de cabeça ajudaram o Grêmio a conquistar mais da metade dos pontos no Brasileirão
Projeção de pontuação e tabela na reta final: a matemática do Grêmio para fugir do rebaixamento

Não nos enganemos

Por mais que possam colaborar com o meio-campo, Elias, Ferreira, Alisson e até Douglas Costa, não têm capacidade de ajudar na marcação. Mateus Sarará foi um grande acréscimo ao lado de Lucas Silva. Mas quero crer que, a critério do treinador, poderíamos ter mais um meio-campista, o que tornaria o esquema um 4-4-2 típico. A defesa estaria mais protegida e os atacantes teriam mais assistência. Não nos enganemos, todos os jogos serão extremamente difíceis.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros