Luciano Périco: Grêmio terá de jogar pela sobrevivência contra o Bahia - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Batalha de Salvador25/11/2021 | 07h00Atualizada em 25/11/2021 | 07h00

Luciano Périco: Grêmio terá de jogar pela sobrevivência contra o Bahia

Vagner Mancini tem 24 atletas à disposição para o duelo da Fonte Nova

Luciano Périco: Grêmio terá de jogar pela sobrevivência contra o Bahia Marco Favero / Agencia RBS/Agencia RBS
Grêmio vem de um empate com o Flamengo, na Arena Foto: Marco Favero / Agencia RBS / Agencia RBS

Faltando quatro jogos para terminar a participação no Brasileirão, a calculadora virou inimiga do Grêmio. No mínimo, vai precisar vencer três partidas. Um aproveitamento altíssimo. 

 Confira a classificação e os jogos do Brasileirão 

Os confrontos serão contra Bahia, Corinthians São Paulo e Atlético-MG. Por todos os ingredientes envolvidos, o jogo em Salvador será extremamente decisivo, justamente por ser contra um adversário direto. É vencer ou vencer.

Uma derrota na Fonte Nova pode significar, praticamente, o fim de tudo, com a queda inapelável para o inferno da Série B. Já se a partida terminar empatada, os jogos seguintes viram um filme de terror, precisando de 100% de aproveitamento. 

Leia mais
Grêmio chega a Salvador para mais um desafio na luta contra o rebaixamento
Com Fernando Henrique e Jean Pyerre, Mancini relaciona 24 jogadores para confronto com o Bahia
A matemática do Grêmio contra o Z-4 após o jogo contra o Flamengo

A postura do Tricolor contra os baianos terá de ser encarada como o jogo da vida. Vagner Mancini tem de abandonar qualquer discurso de cautela excessiva. É preciso acossar o Bahia. Criar desconforto. Mostrar força. 

Não adianta nada escalar três volantes na Fonte Nova. É necessário atacar. Não deixar a equipe de Guto Ferreira respirar. É o jogo de um faminto correndo atrás de um prato de comida. Claro que o rival vive uma situação igual e terá de ir para cima, também. E ainda terá o torcedor ao seu lado. 

Para montar a equipe, Mancini não terá Lucas Silva, personagem importante do time nas últimas partidas, e Jhonata Robert, que foi expulso contra o Flamengo. Kannemann ainda é dúvida. 

No meio-campo, a melhor escolha deveria recair sobre o paraguaio Villasanti. Penso, ainda, que o melhor para a equipe é ter Sarará ou Victor Bobsin como parceiro. Thiago Santos, não. Douglas Costa não deve ter condições físicas de atuar os 90 minutos. Mas terá de ser usado em algum momento no transcorrer da partida. 

Neste caso, há um enorme problema para técnico gremista definir. Recorrer a Alisson, que não dá resposta há muito tempo? Por que Elias está arquivado, sem concentrar nos últimos jogos? Ele poderia ser uma alternativa. Ou, quem sabe, colocar Borja, com mais mobilidade, junto com Diego Souza como homem de referência na frente? O Tricolor terá de ousar. Será a cartada decisiva para a sobrevivência.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir