José Augusto Barros: confiemos, mais uma vez, na direção do Grêmio - Grêmio - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão tricolor22/01/2022 | 09h00Atualizada em 22/01/2022 | 09h00

José Augusto Barros: confiemos, mais uma vez, na direção do Grêmio

Creio que, neste momento, a avaliação sobre a dispensa de Douglas Costa esteja correta

José Augusto Barros: confiemos, mais uma vez, na direção do Grêmio Jéssica Maldonado / Grêmio/Divulgação/Grêmio/Divulgação
Douglas Costa esteve envolvido em polêmicas, das mais variadas, e pouco jogou Foto: Jéssica Maldonado / Grêmio/Divulgação / Grêmio/Divulgação

Em 2021, a chegada de Douglas Costa, vindo de um futebol de altíssimo nível, encheu o torcedor de esperança. Era uma contratação de outro nível. Afinal, ele não vinha de mercados mais desvalorizados, como Leste Europeu e por aí vai. Vinha do Bayern de Munique, com as credenciais de ter sido, apenas, campeão do Mundial de Clubes, em 2020, e um dos destaques da Seleção Brasileira, na Copa de 2018. Claro, tinha o histórico de lesões, toda aquela coisa, mas é um cara absolutamente diferenciado, ainda mais se tratando de futebol brasileiro, nos dias atuais. 

Pois bem, Douglas Costa esteve envolvido em polêmicas, das mais variadas, pouco jogou e, quando esperávamos que tivesse uma temporada completa, veio o anúncio, nesta sexta, que ele está deixando o clube. Assim como no ano passado, quando houve sua contratação, espero que a direção saiba o que está fazendo. Como tem um cara, o vice de futebol, que não estava em 2021, e que não participou de sua contratação, creio que, neste momento, a avaliação sobre sua dispensa esteja correta, seja pela questão financeira ou pelo fato de que o atleta não tenha mais vontade de atuar por aqui. Espero, realmente. 

Leia mais
Douglas Costa chega a acordo para deixar o Grêmio
Eduardo Gabardo: LA Galaxy e mais dois clubes consultam situação de Douglas Costa
Os números de Douglas Costa na segunda passagem pelo Grêmio

De qualquer maneira, se encerra mais um fiasco de contratações de medalhões promovido pela gestão Romildo Bolzan. Até 2018, fui um admirador fervoroso do nosso comandante, mas venho mudando de opinião, ano após ano, fiasco após fiasco. Torço muito para que esse seja o último fiasco. Tanto com medalhões, quanto sem.

E, quem sabe, não seja uma chance para Campaz ganhar destaque, definitivamente?

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros