Mãe de Muriel e Alisson fala sobre o sentimento de torcer pelos filhos - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Coração dividido07/09/2013 | 09h04

Mãe de Muriel e Alisson fala sobre o sentimento de torcer pelos filhos

Dona Magali Lino de Souza Becker, 46 anos, admite que é difícil a disputa dos irmãos pela vaga no gol colorada

Mãe de Muriel e Alisson fala sobre o sentimento de torcer pelos filhos Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Família Becker está dividida, mas garante que apoio não falta a nenhum dos irmãos Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Há cinco rodadas do Brasileirão, uma troca no time do Inter dividiu o coração de Magali Lino de Souza Becker, 46 anos. No gol, o caçula Alisson Becker, 20 anos, ou primogênito Muriel Becker, 26 anos? A dúvida que paira no time de Dunga virou assunto de família em Novo Hamburgo. Os dois filhos da corretora de imóveis disputam posição no time titular.

Enquanto não há uma definição entre os dois, neste sábado, às 18h30min, a corretora de móveis torcerá por boa atuação do seu caçula contra a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli. Depois? É deixar que o tempo dirá. 

- É muito difícil essa situação. Tu queres ver os dois bem. E como se faz? - questiona Magali. 

Reserva foi destaque contra o Salgueiro

Alisson tem aproveitado a oportunidade que recebeu desde o jogo contra o Goiás, quando o irmão sofreu lesão na região ilíaca e foi cortado de última hora. Na partida de volta contra o Salgueiro, pela Copa do Brasil, em Pernambuco, o goleiro reserva foi um dos destaques da partida, que garantiu a classificação do Inter para as quartas de final da competição.

Mas e quando o camisa 1 tiver alta do departamento médico? Quem segue na titularidade? 

- Vejo que esse é um processo bom para o Alisson. Tem que ser testado para conhecerem o trabalho dele. Isso já aconteceu com o Muriel - disse a mãezona, garantindo estar bastante ansiosa com o que está para acontecer. 

"Prefere que seja para o irmão"

O que está por vir, Magali não tem como prever. Ela e o marido, José Agostinho Becker, 50 anos, procuram apenas confortar e conversar muitos com os dois filhos. Argumentam possibilidades e apontam caminhos. Garantem que não há qualquer rivalidade entre os dois. Pelo contrário. Há sempre muito apoio. 

- Creio que as coisas vão se encaminhar da melhor maneira possível. Se ficar o Alisson ou o Muriel, é porque o outro tem que procurar o seu momento. Futebol é assim, e para goleiro é mais difícil. Para mim, o ideal seria que um entrasse num tempo e o outro, no outro  - brinca Magali aos risos.

Há poucos dias, Muriel abriu o coração para a mãe:

- Ele me disse que sabe que vai sentir (se perder a titularidade). Mas, se isso acontecer, prefere que seja para o irmão.

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros