Um raio X do Inter após três meses de Odair Hellmann - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Números28/02/2018 | 07h51

Um raio X do Inter após três meses de Odair Hellmann

Treinador conseguiu 64% de aproveitamento em 11 jogos no comando da equipe

Um raio X do Inter após três meses de Odair Hellmann Anselmo Cunha/Agência RBS
Técnico completou 95 dias no cargo Foto: Anselmo Cunha / Agência RBS

Há três meses no comando do Inter, Odair Hellmann já começa a devolver ao torcedor um pouco da fé perdida lá atrás, em 11 de dezembro de 2016. 

Apesar do pouco tempo de trabalho, Odair pavimenta o seu caminho como emergente. E, em termos de Inter, com 95 dias no comando, ele já está por superar Celso Roth, que ficou 101 dias no clube, em 2016, além de precisar de mais dois meses para bater Antônio Carlos Zago (168 dias de Inter) e Guto Ferreira (165 dias) e já bateu de longe os breves e recentes Paulo Roberto Falcão (27 dias) e Lisca (25 dias). Zero Hora apresenta a partir de agora um raio X desse início de Era Hellmann no Beira-Rio. Confira:

O rodízio 

Leia mais
Dudu passará a interagir mais em campo: "Sou muito quieto"
Quais jogadores mais atuaram pelo Inter em 2018
Inter abre venda de ingressos para jogo contra o Cianorte para público geral

O rodízio de Odair Hellmann lhe rendeu frutos. Patrick, contratado do Sport como volante e dublê de lateral-esquerdo, se transformou em um dos bons nomes do meio-campo, jogando pela esquerda. Curiosamente, quem mais vezes esteve em campo foram os suplentes Nico López e Gabriel Dias. Cada um atuou em nove das 11 partidas do clube em 2018. O uruguaio atuou por 424 minutos na temporada — de um total de 990 minutos de jogo da equipe em 2018. Já Gabriel, foi titular três vezes e soma 518 minutos em campo. 

  • Nico López e Gabriel Dias — 9
  • Patrick, Iago e Edenilson — 8
  • Pottker, Roger, Juan e Dourado — 7
  • Damião, Danilo Fernandes, D'Alessandro, Cuesta, Klaus e Camilo — 6
  • Thales, Charles, Marcelo Lomba, Dudu, Marcinho e Ruan — 5
  • Uendel e Winck — 4
  • Danilo Silva e Wellington Silva — 3
  • Rodrigo Moledo — 2
  • Ronald e Richard — 1

Quem ainda não jogou

Se 28 jogadores já foram escalados por Odair Hellmann na temporada, outros cinco atletas do elenco principal ainda esperam a vez. Além dos goleiros Daniel e Keiller, que serão utilizados apenas em caso de emergência, como foi em 2017, e do novato Fernandinho, Fabinho e Ernando não foram utilizados.  

O goleador solitário

Com 18 gols marcados em 11 partidas, o Inter tem média de 1,63 gol por jogo. Não chega a entusiasmar, ainda que ela já seja superior à média de toda a temporada 2017, quando o clube fez 1,47 gol por partida. O artilheiro do Inter no ano está de molho. William Pottker, dono de cinco gols em apenas sete partidas, sofreu uma lesão muscular na coxa direita e ficará fora até mesmo do Gre-Nal de 11 de março. 

Sem contar com Pottker, a produção de gols no Inter está distribuída por outros 10 jogadores. Três deles são zagueiros:

  • William Pottker — 5 gols
  • Nico, Roger e Danilo Silva —2 gols
  • Edenilson, Damião, Iago, Klaus, Thales, D'Alessandro e Patrick — 1 

De onde saem os gols do Inter

É bem verdade que a o plano de Odair é transformar o Inter em um time que troque passes e que volte a perturbar os adversários com penetrações área adentro. E ele até tem conseguido isso, em jogadas mais trabalhadas. Mas isso não impede o Inter de abandonar os cruzamentos. Tanto é assim que dos 18 gols no ano, cinco deles foram marcados à "moda antiga": de cabeça.

  • De cabeça — 5
  • De rebote — 4
  • Através de passes, com infiltração na área — 3
  • De cruzamento, seguido de assistência dentro da área — 2 
  • De contra-ataque — 1 
  • De fora da área — 1
  • Em cobrança rápida e rasteira de escanteio — 1
  • De carrinho na pequena área — 1

Por onde o Inter sofre os gols

O primeiro gol do ano contra a defesa colorada foi de fogo amigo. Gabriel Dias, no Centenário, desviou um cruzamento e venceu Danilo Fernandes, na partida que marcou a primeira derrota colorada em 2018: 2 a 1 para o Caxias. Como foram os seis gols sofridos pelo time de Odair em 2018:

  • Contra
  • De cruzamento rasteiro para a área
  • De chute de fora da área
  • De chute de dentro da área
  • Por cobertura
  • De rebote

A maior goleada

Os gols do Inter no ano não chegam a ser bem distribuídos. Quatro vitórias tiveram o placar com diferença de mais de um gol. Todas pelo Gauchão. Treze dos 18 gols colorados no ano foram marcados nessas partidas. Em três delas, o Inter goleou. A primeira delas, os 3 a 0 do time reserva sobre o Novo Hamburgo, no Estádio do Vale. Depois, novo 3 a 0, agora em casa diante do Avenida, com dois gols de Roger. A terceira, e a maior até aqui, os 4 a 0 contra o São José, no Beira-Rio, com metade dos gols saindo no fim do jogo, aos 44 minutos e aos 48 minutos do segundo tempo.  

Resumo

  • 11 jogos
  • 6 vitórias
  • 3 empates
  • 2 derrotas
  • 18 gols marcados
  • 6 gols sofridos
  • 64% de aproveitamento

 Ainda não tem o app Colorado GaúchaZH? Acesse todas as informações sobre o Inter na palma da sua mão! 

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros