Sem jogar, futuro de Camilo está em xeque no Beira-Rio - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Inter27/03/2018 | 07h45

Sem jogar, futuro de Camilo está em xeque no Beira-Rio

Meia, contratado para ser uma espécie de "segundo D'Alessandro", pode deixar o clube antes de cumprir seis jogos pelo Inter no Brasileirão

Sem jogar, futuro de Camilo está em xeque no Beira-Rio Ricardo Duarte/Inter,Divulgação
Camilo: futuro incerto no Beira-Rio Foto: Ricardo Duarte / Inter,Divulgação

Contratado pelo Inter para ser o reserva imediato de D'Alessandro na metade do ano passado, Camilo vive momento de incerteza no Beira-Rio. O meia de 32 anos perdeu espaço no time de Odair Hellmann, muito em função de exibições insuficientes em 2018. Para ter uma ideia, em oito partidas na atual temporada, o jogador não fez nem sequer uma assistência nos 380 minutos em que esteve em campo. 

Em toda a sua passagem pelo clube, ainda não marcou gols. Agora, está sendo especulado em negociações para o Brasileirão, com nome ligado a Botafogo (o que seria um retorno, após um período de baixa também no Rio), Fluminense e Sport - ainda que nenhuma das partes confirme tal interesse. O Inter garante não ter sido procurado oficialmente por qualquer clube.

No ano passado, Camilo chegou a demonstrar uma faceta de garçom. Foi o autor de oito assistências na Série B, tornando-se o vice-líder colorado no quesito. Antes do Inter, também era considerado um bom passador: em 57 jogos, fez sete gols e deu sete assistências pelo Botafogo. Seus números gerais, segundo o site Transfermarkt, apresentam 23 gols e 22 assistências em 232 jogos (cerca de 15 mil minutos), entre Série A, Série B, Libertadores e liga árabe (jogou no Al-Shabab).

Leia mais
Inter anuncia acordo com a Globo para 2019 e 2020
Ernando e Winck já treinam com o Sport, que ainda aguarda Andrigo
Cléber Grabauska: as vantagens e desvantagens do Inter na busca por Zeca

— No Botafogo, Camilo rendeu muito bem por trás do centroavante, o que reduzia a porção de campo que ele precisava cobrir. Não que corresse menos, mas ficava menos obrigado a tarefas defensivas, além da pressão no volante rival. Por uma série de fatores, foi levado a desempenhar no Inter uma função mais desgastante e sentiu. Tanto pelo físico, quanto talvez pela predisposição a cumprir tantas obrigações no jogo — observa Carlos Mansur, comentarista do jornal O Globo. — Houve um momento no Botafogo em que, para tentar ajustar Montillo e Camilo, no início do ano passado, Jair Ventura tentou fazer Camilo recompor entre os volantes. E não funcionou bem. Porque ele demorava a chegar com força perto do gol adversário. Talvez o caminho seja fazer de Camilo, se não titular, uma alternativa na função de segundo atacante — acrescenta Mansur.

A queda de desempenho em 2018 se acentuou a ponto de virar reserva de praticamente todos os candidatos a uma vaga no meio-campo —- no Gre-Nal vencido pelo Inter por 2 a 0, Camilo foi a última opção de Odair, indo a campo aos 40 minutos, no lugar de Victor Cuesta, quando o Inter tentava já no desespero o terceiro gol, que daria ao time a vaga à semifinal do Gauchão. 

Camilo começou o ano como titular. Odair Hellmann desejava testá-lo com D'Alessandro, ambos comandando o meio-campo colorado. Mas o Plano A não foi adiante. Perdeu a vaga logo depois da primeira partida da equipe no Gauchão

Meia do Inter no final dos anos 90, Marcelo Rosa acredita que há uma cobrança exagerada sobre Camilo, especialmente porque o cabeludo camisa 21 não consegue ter sequência na equipe.  

— Acho que Camilo não chegou 100% fisicamente ao Inter. Se sofreu repetidas lesões musculares depois que foi convocado pelo Tite (em fevereiro de 2017, o treinador convocou para a Seleção jogadores que estavam atuando no futebol brasileiro, para o amistoso com a Colômbia, em homenagem às vítimas da tragédia da Chapecoense). Por não ser um cara rápido, ele precisa estar bem condicionado e com ritmo de competição. Além disso, chegou ao Inter em um momento de transição, e não conseguiu jogar. Camilo é cobrado pelo que fez nos outros clubes, mas a realidade é que ele não teve sequência. Entra e sai do time. E é ele ou D'Alessandro. Os dois juntos não dá, pois o time perde velocidade e perde dinâmica de jogo. Acho muito difícil que Camilo tenha chances no Inter com o D'Alessandro jogando — entende Marcelo. 

D'Alessandro é o titular indiscutível da função, Juan Alano virou o substituto imediato e daí por diante, vários nomes ganharam chance: Nico López, Wellington Silva, Marcinho, Gabriel Dias. Nenhum deles é especificamente meia armador, mesmo assim, todos tiveram mais oportunidades. Quando chamado, Camilo não conseguiu aproveitar as chances. 

Para o comentarista do jornal Diário Catarinense e da NSC TV, afiliada da Rede Globo em Santa Catarina, Rodrigo Faraco - que acompanhou de perto a trajetória de Camilo na Chapecoense —, o fraco desempenho do meia em Porto Alegre não chega a ser surpresa:  

— Quando Camilo chegou ao Inter, mencionei: "Camilo é um bom jogador, mas não aquele tipo de jogador que carregue o time. Se o time estiver funcionando, ele vai bem. Se o time estiver mal, talvez ele não consiga recuperar este time. Avalio que o Inter fez uma boa contratação, que vai ajudar nesta Série B, mas não espere que ele dê outro padrão e comande o meio de campo. Não este tipo de jogador". É exatamente o que acontece. É o confronto entre a realidade e a expectativa. Acredito que muitos esperavam um jogador decisivo, que ele não é. Vejo que o melhor a fazer é cada um seguir seu caminho. Camilo segue sendo um bom jogador, mas, efetivamente, já deu pra perceber que não deu certo no Inter.

O Brasileirão se avizinha e, para uma transferência doméstica, o atleta pode ter disputado no máximo seis partidas. Camilo não parece ter um futuro como titular no Beira-Rio. 

Camilo em números

Na carreira

  • 232 jogos 
  • 23 gols
  • 22 assistências 

No Botafogo (2016/2017)

  • 57 jogos
  • 7 assistências
  • 7 gols 

No Inter, em 2017

  • 20 jogos 
  • 8 assistências
  • Nenhum gol

No Inter, em 2018

  • 8 jogos
  • Nenhuma assistência
  • Nenhum gol

Ainda não tem o app Colorado GaúchaZH? Acesse todas as informações sobre o Inter na palma da sua mão! 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros