Lucca é apresentado no Inter: "Posso jogar pelos lados ou centralizado" - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Sem preferência por função25/04/2018 | 07h34Atualizada em 25/04/2018 | 07h34

Lucca é apresentado no Inter: "Posso jogar pelos lados ou centralizado"

Atacante recebeu a camisa número 19 e disse estar pronto para a estreia

Lucca é apresentado no Inter: "Posso jogar pelos lados ou centralizado" Ricardo Duarte / Inter, Divulgação/Inter, Divulgação
Lucca: pronto para estrear Foto: Ricardo Duarte / Inter, Divulgação / Inter, Divulgação

O Inter apresentou na tarde desta terça-feira o atacante Lucca. O jogador de 28 anos usará a camisa 19, que recebeu das mãos do vice de futebol colorado, Roberto Melo.

Segundo o ex-atacante do Corinthians, por ter jogado recentemente e estar treinando, está liberado para jogar assim que tiver condições legais — o que ocorrerá já contra o Cruzeiro, no domingo, no Beira-Rio. O jogador afirmou que não prioriza uma função específica:

— Não costumo ter preferência, joguei pelos lados e centralizado e fiz uma boa temporada. Espero repetir aqui. 

Leia mais
Ex-vice do Inter afirma: "É preciso parar com o discurso de coitadismo" 
Ex-treinador da Ponte dá a receita de como escalar Pottker e Lucca
Zeca nunca treinou tanto quanto no período em que esteve afastado dos gramados

Ele se definiu como veloz e definidor:

— Procuro definir a jogada o mais rápido possível, tenho velocidade, procuro os companheiros bem posicionados, entro na área. Mas isso tudo tem que colocar em prática. Se não trabalhar, fica para trás.

Lucca também falou sobre William Pottker, seu companheiro de ataque na Ponte Preta vice-campeã paulista do ano passado:

— Mantivemos contato, fizemos um grande campeonato. É um grande amigo e vamos enfrentar, ele me conhece, sabe como gosto de jogar.


O jogador evitou falar sobre o que o Inter pretende buscar na temporada.

— O objetivo vai ser jogo a jogo, temos uma sequência difícil e vamos trabalhar para chegar no meio do ano e, aí, sim, ver qual será nosso objetivo. 

Ele ainda comentou sobre sua saída do Corinthians. Segundo ele,  a saída do clube paulista abriu novas portas.

— Vinha jogando no Corinthians, e em um time com grandes opções, não é vergonha nenhuma ser reserva. Carille tem confiança de todos e fiquei de fora. É uma coisa normal. Isso ficou no passado. Quero fazer uma história no Inter, outro gigante do futebol brasileiro. É uma honra muito grande vestir essa camisa. Já joguei contra, sei a dificuldade que é. Agora quero ter isso a meu favor.

Ainda não tem o app Colorado GaúchaZH? Acesse todas as informações sobre o Inter na palma da sua mão!  

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros