Após derrota no Rio, Inter começa a semana Gre-Nal com trabalho em xeque - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Gre-Nal 41607/05/2018 | 07h36

Após derrota no Rio, Inter começa a semana Gre-Nal com trabalho em xeque

Direção de futebol e técnico Odair Hellmann são contestados pela torcida, Inter não terá Pottker no clássico da Arena

Após derrota no Rio, Inter começa a semana Gre-Nal com trabalho em xeque Ricardo Duarte/Inter
Inter de Pottker caiu no Maracanã Foto: Ricardo Duarte / Inter

O Inter ingressa na semana Gre-Nal uma vez mais em apuros na temporada. A merecida derrota para o Flamengo por 2 a 0, no Maracanã, mostrando pouco futebol, boa dose de retranca, muitas desculpas, mais a expulsão infantil de William Pottker — além de um time que não faz gols há quatro partidas e com um ponto conquistado em nove disputados —, deixam a direção de futebol e o técnico Odair Hellmann em xeque. 

Com uma postura demasiadamente defensiva, e com raras chances de ataque diante de um Maracanã com 60 mil torcedores do Flamengo, a derrota colorada foi apenas questão de tempo — e de dois chutes de fora da área. O resultado já deixa o Inter em uma condição ruim na classificação do Campeonato Brasileiro, enquanto que o Gre-Nal da Arena não parece surgir exatamente como uma partida de redenção para a equipe. 

Leia mais
Cotação GZH: veja as notas dos jogadores do Inter na derrota para o Flamengo
Melo diz que atuação do Inter deixou a desejar e evita avaliar seu trabalho
Odair lamenta chances perdidas e promete trabalhar parte emocional do time

— Das quatro partidas que fizemos, essa foi a que tivemos o pior rendimento. Nos outros jogos, rendemos para ter uma pontuação melhor. Sabemos as circunstâncias do jogo do Palmeiras. Contra o Cruzeiro, criamos diversas oportunidades. Poderíamos ter uma pontuação mais tranquila, estar na parte de cima da tabela. Não foi nosso melhor jogo no campeonato, principalmente no segundo tempo — comentou o vice de futebol Roberto Melo. — Então é isto: é continuar trabalhando, fazer mais do que estamos fazendo, para termos uma regularidade e um desempenho satisfatórios — completou o dirigente. 

Depois de citar que o Inter precisa seguir "trabalhando", Melo comentou ainda que, apesar da derrota, o Inter esteve de volta a um palco do seu tamanho: o Maracanã.  

— Jogamos aqui no Maracanã lotado, e este é o lugar do Inter. A gente nunca deveria ter saído da Série A. No ano passado, fomos a lugares difíceis como Lucas do Rio Verde, Varginha, Caruaru. Estes lugares não pertencem ao Inter. Nosso lugar é aqui, diante de mais de 60 mil pessoas, esse é o nosso ambiente, é o nosso lugar, do nosso torcedor. Precisamos melhorar nosso desempenho. Não é desculpa, é nossa realidade — disse. 

Roberto Melo, porém, já admitiu preocupação com o momento do time no campeonato:

— Evidente que preocupa. A gente queria estar agora com 12 pontos. Fizemos por merecer estar com seis ou sete pontos. Um ponto nos últimos nove preocupa. Mas temos de lembrar, e não é desculpa, que tivemos um início de campeonato duro contra as equipes mais fortes do campeonato, que são consideradas favoritas.

Sem Pottker, que jamais jogou um Gre-Nal, e que agora está suspenso, devido à expulsão no Maracanã, é possível que Lucca seja escalado ao lado de Leandro Damião — que será reavaliado, pois deixou a partida sentindo um desgaste muscular. Ainda que Lucca pareça ser o favorito para começar o clássico, Nico López foi o autor dos últimos gols do Inter. O uruguaio marcou os dois únicos gols do clube no Brasileirão, na vitória sobre o Bahia, além de ter feito o primeiro gol colorado nos 2 a 0 sobre o Grêmio no Gauchão, 21 dias atrás. Com mais uma semana livre para treinos, Odair deverá intensificar também as conclusões a gol. 

— Precisamos seguir com o volume ofensivo. Alguma hora nossas bolas vão entrar, temos que trabalhar para melhorar isso — afirmou Odair. — Foi um jogo difícil, sabíamos desde o começo. No primeiro tempo, mesmo com menos posse de bola, a gente criou situações de gol e tivemos chances para marcar. No segundo tempo, não. Mesmo com o jogo controlado, o adversário começou a ter volume, jogou no nosso campo e tivemos mais dificuldade. Mesmo assim, o gol saiu de bola parada — justificou ele. 

O treinador do Inter foi questionado sobre o nervosismo do time ao sofrer um gol. Não raro, a equipe se desconcentra quando sai atrás em uma partida. 

Leia mais
Veja os memes da derrota do Inter para o Flamengo
Cléber Grabauska: deu a lógica no Maracanã
Pedro Ernesto: derrota do Inter para o Flamengo não foi nenhuma surpresa

— Achei que ele (Pottker) tinha encostado ali pra conversar. Essas coisas acontecem, perdendo o jogo você fica nervoso. Mas temos que controlar essas situações para que a cabeça esteja concentrada dentro do jogo, para que independente do resultado, a gente fique concentrado até o final — concluiu Odair Hellmann. 

Após enfrentar o Grêmio, o Inter terá pela frente a Chapecoense e o Corinthians, ambos no Beira-Rio, e o Vitória, no Barradão. Antes disto, porém, os rumos do clássico poderão definir também os rumos do Inter.  

Ainda não tem o app Colorado GaúchaZH? Acesse todas as informações sobre o Inter na palma da sua mão!

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros