Lelê Bortholacci: "É longe do Beira-Rio que poderemos encontrar mais caminhos para as vitórias" - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão Colorada29/08/2018 | 07h00Atualizada em 29/08/2018 | 07h00

Lelê Bortholacci: "É longe do Beira-Rio que poderemos encontrar mais caminhos para as vitórias"

Como passamos a ser vistos por todos os adversários como um postulante ao título, os times vêm mais retrancados em nossa casa, por isso podemos aproveitar os jogos fora

Lelê Bortholacci: "É longe do Beira-Rio que poderemos encontrar mais caminhos para as vitórias" Jefferson Botega/Agencia RBS
Dentro do Beira-Rio, tendência é que os adversários se retranquem e dificultem para o Inter Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

A volta de Pottker após cumprir suspensão automática contra o Palmeiras e a presença de Leandro Damião no treino de terça-feira (28) trazem alegria para o técnico Odair Hellmann, que volta a ter mais opções para a formação do ataque no dificílimo jogo contra o Cruzeiro, no domingo, no Mineirão. Independentemente do time que irá a campo, tenho certeza de que a formação será ofensiva, pois o Inter tem jogado assim fora de casa: para vencer. 

Leia mais
William Pottker sobre a volta de Leandro Damião: "É bom ver ele dentro de campo de novo"
Leandro Damião retorna ao Inter em um momento oportuno
Inter reajusta mensalidades de sócios em 25%

Se agora já somos vistos por todos os adversários como um postulante ao título — e isso significa receber times mais retrancados em nossa casa —, é nos jogos longe do Beira-Rio que poderemos encontrar mais caminhos para as vitórias.

Parece que a direção concordou com o que escrevi na coluna de segunda-feira (27), e o uniforme cinza não deverá mais ser visto nos jogos em Porto Alegre. Ele deverá ser usado apenas nos jogos fora de casa, assim como a camisa branca. Inter, no Beira-Rio, é de vermelho!

Reajuste da mensalidade

Não há o que fazer: as mensalidades do clube têm de ser reajustadas todos os anos. Não temos para onde correr. E, no nosso caso, já se passavam quatro anos do último aumento. A inflação é implacável.

A única questão que eu penso que possa ser modificada para o futuro é que o aumento ocorra em janeiro, pela correção cambial, e não em agosto, no meio da temporada. Que o Conselho Deliberativo do clube organize isso de uma vez por todas. O planejamento financeiro do sócio agradece.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros