Lelê Bortholacci: "Foi uma vitória merecida do presidente Marcelo Medeiros" - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 

Paixão colorada10/12/2018 | 07h00Atualizada em 10/12/2018 | 07h00

Lelê Bortholacci: "Foi uma vitória merecida do presidente Marcelo Medeiros"

Agora, ele e sua equipe terão um prazo justo para buscarem os títulos e restabelecerem o Inter no seu lugar de direito, disputando ¿ para ganhar ¿ todas as competições possíveis do calendário

Lelê Bortholacci: "Foi uma vitória merecida do presidente Marcelo Medeiros" Robinson Estrásulas/Agência RBS
Fiquei feliz ao ouvir Medeiros dizer que chegou a hora de voltarmos a disputar as competições para vencer Foto: Robinson Estrásulas / Agência RBS
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

O sócio chancelou o trabalho de Marcelo Medeiros. Com maioria esmagadora, o atual presidente colorado venceu a eleição e terá mais dois anos à frente do clube. Uma vitória merecida e que dá a ele e toda a sua equipe um prazo justo para que se conquistem títulos e se restabeleça o Internacional no seu lugar de direito, disputando — para ganhar — todas as competições possíveis do calendário. 

Leia mais
Conheça os 150 conselheiros eleitos no Inter
Inter confirma renovação de contrato de Odair Hellmann
"Difícil, mas temos que pensar grande", diz vice de futebol do Inter sobre Luiz Adriano

Fiquei muito feliz em ouvir do presidente, já no seu discurso pós-vitória, que ele tem a consciência de que chegou a hora de voltarmos a não apenas participar das competições e sim de disputá-las para vencer. A torcida que soube entender que os últimos dois anos foram de reconstrução, agora quer voltar a levantar taças. Medeiros sabe que a cobrança será proporcional aos números finais das urnas. E tenho certeza de que não medirá esforços para dar à torcida colorada todas as alegrias possíveis. Boa sorte, presidente. Estaremos contigo!

Enfim, o campeão 

Era óbvio que o campeão não sairia nos 90 minutos. Depois de tudo o que aconteceu até esse jogo começar, a Libertadores mais longa da história só foi se decidir com mais de 120 minutos de bola rolando. Na prorrogação, a expulsão do volante Wilmar Barrios deu o espaço que o River Plate precisava para fazer valer seu melhor nível técnico e aí nem a mística da camisa do Boca Juniors foi capaz de impedir o título.

Mesmo com um pênalti escandaloso sonegado, o time de Gallardo venceu por 3 a 1 e vai representar a América do Sul no Mundial de Clubes e, de quebra, garante vaga na Libertadores de 2019.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros