Lelê Bortholacci: reunião do Conselho teve novidades e mesmices - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Paixão Colorada06/11/2019 | 09h00Atualizada em 06/11/2019 | 09h00

Lelê Bortholacci: reunião do Conselho teve novidades e mesmices

Vi avanços para o clube no resultado das votações da reforma do novo estatuto

Lelê Bortholacci: reunião do Conselho teve novidades e mesmices Fernando Gomes/Agência RBS
Reunião para tratar das reformas no estatuto do Inter foi realizada na segunda-feira Foto: Fernando Gomes / Agência RBS
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Na segunda-feira (4), uma reunião do Conselho Deliberativo tratou de reformas no estatuto do Inter. Como eram assuntos polêmicos — alguns, inclusive, já tratados em 2016, quando eu ainda era conselheiro — é praticamente impossível ter consenso.

Mesmo assim, vi alguns avanços para o clube no resultado das votações. Como, por exemplo, a cláusula de barreira móvel que amplia a chance de mais pluralidade no Conselho e mandatos de três anos para o presidente e o Conselho de Gestão — que, inclusive, passa a ser escolhido no voto, o que também é positivo.

Leia mais
Mesmo sem Zeca, Natanael perde espaço e não é relacionado pelo Inter para enfrentar o Ceará
Titular ou reserva? Veja o rendimento do Inter com e sem Patrick no Brasileirão
A um ano das eleições, política do Inter já se movimenta pela sucessão presidencial

Você pode questionar o quão prejudicial pode ser para o clube três anos de uma gestão ruim. Mas aí a responsabilidade de elegê-la é exclusiva de quem vota: o sócio. Em um processo do tamanho que é a eleição do Inter, cada um deve assumir sua responsabilidade. Inclusive o sócio.

O que me deixa triste, mas não surpreso, é que alguns vícios insistem em permanecer fazendo parte de reuniões tão importantes como essa: a ausência considerável de alguns conselheiros — menos de 300 compareceram — e a votação ainda não ser nominal. Um clube que tem mais de 100 mil sócios e prega transparência em sua gestão tem o dever de informar, da forma mais clara possível aos seus associados e torcedores, como vota cada conselheiro.

Precisamos de transparência

A modernização da estrutura do próprio Conselho, com confirmação de presença por biometria e um painel eletrônico com a reprodução de cada voto, divulgado depois no site oficial, já deixaria tudo mais claro. E é algo bem viável para um clube com orçamento superior a R$ 300 milhões.

Ainda não tem o app Colorado GaúchaZH? Acesse todas as informações sobre o Inter na palma da sua mão!

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros