Lelê Bortholacci: não é hora de cobranças ao trabalho de Coudet - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Paixão colorada06/02/2020 | 09h00Atualizada em 06/02/2020 | 09h00

Lelê Bortholacci: não é hora de cobranças ao trabalho de Coudet

Foi apenas o terceiro jogo dos titulares em menos de 30 dias de comando argentino

Lelê Bortholacci: não é hora de cobranças ao trabalho de Coudet Ricardo Duarte/Internacional
"Chacho" ainda não completou um mês de trabalho em Porto Alegre Foto: Ricardo Duarte / Internacional
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Foi apenas o terceiro jogo do Inter titular de Coudet. Mas bastou o empate em Santiago para já começarmos a ver manifestações contra o trabalho do treinador argentino. A falta de paciência de parte da torcida colorada é explicita. E não se justifica. 

Leia mais
Colunistas opinam: o que o Inter deve mudar para o jogo da volta na pré-Libertadores?
Incêndio, invasão e confronto: o que disse Eduardo Coudet sobre os protestos da torcida da La U

Mesmo que em todos os jogos deste ano — inclusive com os reservas — o Internacional tenha trocado mais passes que em todos os jogos do ano passado, tem gente que não consegue ver a evolução se ela não se refletir no placar. E é aí que está o grande erro.

Estamos vivendo o início de uma ruptura, de uma mudança de estilo de jogar. Ela não vai acontecer em 15 dias. Nem em 30. Isso requer um prazo maior, que permita aos jogadores assimilarem a nova proposta com a qual convivem a pouco mais de um mês! E, também, que o treinador conheça e entenda as peças que tem. É óbvio que os resultados vão demorar um pouco porque eles são consequência do trabalho, ele está recém começando.

As cenas lamentáveis de Santiago

Independente do que vimos dentro das quatro linhas, uma coisa é certa: não havia a mínima condição para a realização do jogo em Santiago. As cenas das labaredas na arquibancada, com o jogo em andamento estão rodando o mundo e são uma verdadeira vergonha pro futebol sul-americano.

Não entro no mérito dos protestos, mas tenho certeza que uma partida de futebol não pode ocorrer num local onde não existe segurança suficiente, como foi o caso de terça-feira. Punição aos chilenos? Duvido. Conmebol não tem essa tradição. Vai ser aplicada um multinha e segue o baile.

Ainda não tem o app Colorado GaúchaZH? Acesse todas as informações sobre o Inter na palma da sua mão!

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros